Executivo sem dotação para pagar comissionados; transporte universitário e combustível da Saúde

Só para a folha dos comissionados, aproximadamente 271 servidores, é necessário R$ 3,150 milhões em dotação.

Prefeitura precisa de R$ 5 milhões em dotação orçamentária até o final do ano para efetivar o pagamento - Foto: Marcos Tomé/Região News

Conforme o relatório assinado pela chefe geral da Contabilidade da Prefeitura de Sidrolândia, Vanilda Borges Viganó, encaminhado nesta quarta-feira à Câmara pelo prefeito Marcelo Ascoli, só para respaldar o pagamento de débitos previdenciários e salários de comissionados e contratados até o final do ano, o Executivo precisa de R$ 5 milhões em suplementação orçamentária.

O montante computa a folha de pagamento de abril a dezembro, além do INSS patronal que incide sobre o salário deles. Só para a folha dos comissionados, aproximadamente 271 servidores, é necessária uma dotação extra de R$ 3, 150 milhões em dotação. Foi encaminhado à Câmara no último dia 18 de março, projeto em que o prefeito pede autorização para suplementar o orçamento em 35%.

A Prefeitura está sem orçamento para respaldar o pagamento do Pasep até dezembro (R$ 1,4 milhão); parcelamento da dívida com o Previlândia (R$ 1,440 milhão); transporte universitário (R$ 665 mil); conta de água do Paço Municipal do restante do ano (R$ 23.200,00); 9 meses de aluguel do prédio onde funciona o CIAT (R$ 23.235,00).

Pagamento de cascalho para a manutenção das estradas; peças e combustível das ambulâncias e veículos da saúde; muro da quadra construída no Residencial Morada da Serra (R$ 24 mil); material permanente da Secretaria de Assistência Social (R$ 47 mil) e uma dívida remanescente de 2018, R$ 52.719,71, referente a compra de combustível.

*Matéria atualizada para acréscimo de informações.