'Guri do grupo', Hyoran não se vê como talismã do Palmeiras

O Verdão completa hoje sete dias sem entrar em campo, algo estranho no futebol brasileiro, recheado de jogos.

- Foto: Divulgação

Em um grupo com vários jogadores de futebol, é natural que surjam apelidos para alguns atletas. No caso do Palmeiras, Hyoran é chamado de o “guri”, palavra utilizado pelo técnico Felipão para o jogador. Nesta quarta-feira, na Academia de Futebol, o camisa 28 comentou sobre a brincadeira do chefe e do plantel.

“Sou querido por todos aqui no grupo, todo mundo vê eu me dedicando no dia-a-dia. O Felipão gosta de me chamar de guri. Ele fala bastante nesse sentido. Mas é uma brincadeira legal, sadia, tem isso com todos os jogadores e deixa o grupo feliz e unido para desempenhar bem”, afirmou o atleta.

O Verdão completa hoje sete dias sem entrar em campo, algo estranho no futebol brasileiro, recheado de jogos. O torcedor palmeirense ainda terá que esperar por mais de uma semana para ver o time entrando em campo. Com isso, a equipe vem se preparando, realizando apenas treinamentos. Para o meia, a folga é bem-vinda, mas o importante é jogar.

“Graças a Deus, tivemos uma folga. Temos que nos preparar bem para encaminhar a classificação. Vai ser um jogo difícil com o Melgar lá. É bom aproveitar o período da melhor maneira possível para conseguir o resultado e a vaga”, emendou.

 

Hyoran carrega consigo uma estatística curiosa: o time não perde com ele em campo há 29 jogos, o último revés foi diante do Cruzeiro, no Mineirão, em maio do ano passado. Contudo, o meio-campista descartou ser uma espécie de talismã do elenco Alviverde e brincou, pedindo que os dados fossem mostrados ao técnico Felipão.

“Nunca teve (ideia de ser o talismã). É um dado legal, mas não quero que tenha. O mérito não é do Hyoran, mas é fruto de um resultado que conquistamos em grupo. Mostra para o Felipão esses dados aí”, disse aos risos o meia.

O Palmeiras só vai enfrentar o Melgar, do Peru, na próxima quinta-feira, às 23h00 (horário de Brasília), fora de casa. Um empate diante dos peruanos já serve para os comandados de Luiz Felipe Scolari se classificarem para as oitavas de final da Libertadores da América.