MS tem 2ª maior taxa e fica na principal faixa de transmissão da dengue

A principal faixa de transmissão da dengue inclui Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo

Campo Grande terá mosquito infectado com bactéria no combate à dengue. - (Foto: Ministério da Saúde)

Mato Grosso do Sul está na principal faixa de transmissão de dengue e tem a segunda maior taxa da doença. Conforme o jornal Folha de São Paulo, as maiores taxas ficam no Tocantins (687 casos a cada 100 mil habitantes), seguido por Mato Grosso do Sul (519 casos/100 mil habitantes).

A principal faixa de transmissão da dengue inclui Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Com epidemia da doença, provocada pela reintrodução do vírus tipo 2, Campo Grande entrou no projeto piloto do Ministério da Saúde que vai usar uma “arma” científica no combate ao Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, zika e febre chikungunya.

Mosquitos infectados com a bactéria Wolbachia serão liberados no meio ambiente. A bactéria inibe a transmissão dos vírus e, conforme os pesquisadores, é segura para a saúde das pessoas.

A previsão é de que o trabalho comece no segundo semestre em Campo Grande. Conforme o pesquisador, as etapas incluem divulgação de informações, questionário para obter aprovação da população e a preparação dos mosquitos. A dengue matou 11 pessoas e registrou 21 mil notificações em Mato Grosso do Sul.