Gerson pede apoio da bancada federal para projeto do contorno rodoviário

No traçado do contorno teria uma ponte sobre o Rio Vacaria e dois viadutos em cruzamentos com a linha férrea.

Deputado Gerson Claro durante pronunciamento na Assembleia - Foto: Luciana Nassar/ALMS

O deputado estadual Gerson Claro apresentou e a Assembleia Legislativa aprovou, indicação em que pede à bancada federal de Mato Grosso que cobre o DNIT a elaboração do estudo técnico destinado a implantação do contorno rodoviário de Sidrolândia, entre as saídas de Campo Grande e Nioaque. O contorno teria 9.240 metros de extensão, entres os quilômetros 422+ 900 metros e o 432+900 metros da BR-060. No traçado do contorno teria uma ponte sobre o Rio Vacaria e dois viadutos em cruzamentos com a linha férrea.

Depois de elaborado o projeto, o passo seguinte é garantir emendas de bancada para viabilizar os recursos da obra que já tem um estudo preliminar pronto na superintendência regional do DNIT. “Com a implantação do corredor bioceânico, ligação do Brasil com o Chile, passando pelo Paraguai e a Argentina, o fluxo de veículos vai aumentar muito, principalmente caminhões”, afirma.

A BR-060 é um corredor para quem vai para Bonito e Ponta Porã ou mesmo Dourados. Todo o tráfego atravessa o centro da cidade, pela Avenida Dorvalino dos Santos. A implantação do contorno, na avaliação do deputado, vai garantir um trânsito mais seguro, além de organizar o tráfego na área central, cada vez mais intenso. A cidade tem hoje uma frota de 13.276 veículos.

O deputado também apresentou indicação em que solicita à MSGás a implementação de ramal de gás natural entre Campo Grande e Sidrolândia. Futuramente, a ligação seria feita de Sidrolândia a Dourados, passando por Maracaju. A reivindicação foi encaminhada ao Governo do Estado, e ao diretor-presidente da MSGás, Rudel Trindade Júnior.

Para Gerson Claro, o ramal do gás natural traria desenvolvimento para toda a região, ampliando as chances de investimento empresarial e consequente geração de empregos.

“A economia chega a 40% em relação ao gás GLP, sem contar que é uma fonte energética confiável e limpa, o que atrai comércio, indústria e expansão em todas as áreas, gerando emprego e renda para a população. O atendimento dessa solicitação é fundamental para a política de desenvolvimento de nosso Estado”, concluiu o parlamentar.

*Matéria atualizada para acréscimo de informações.