Emoção, musicalidade e arte na apresentação de crianças e adolescentes da Apascentar

Segundo a professora Natália Galdino, com ajuda de voluntários e doações, neste ano passaram pelo projeto 150 pessoas.

50 crianças e adolescentes que participam do Projeto Apascentar, emocionaram o público com suas apresentações de música, canto e ballet - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Diante de um plenário lotado da Câmara, as 50 crianças e adolescentes que participam do Projeto Apascentar, emocionaram o público com suas apresentações de música, canto e ballet, no evento de encerramento das atividades da organização não-governamental. Há 11 anos a ONG desenvolve projetos em que o foco principal são famílias em situação de vulnerabilidade social, acolher no contra turno da escola filhos das mães chefes de família que precisam trabalhar para prover as necessidades deles.

Segundo a professora Eva Galdino de Oliveira, coordenadora pedagógica, com ajuda de voluntários, doações de empresas e empresários, neste ano passaram pelo projeto 150 crianças e adolescentes, dos quais, 60 de forma permanente, integrados as oficinas de expressão artística (música, ballet, pintura); reforço escolar, pratica esportiva (karatê), iniciação na informática a partir dos 12 anos; recreação; estimulo à leitura. A falta de espaço físico limita a ampliação da oferta de vagas. Neste ano, 30 mulheres fizeram curso de manicure e algumas delas já conseguiram se inserir no mercado de trabalho.

A dona de casa Elzenita Stefani Santana, que tem duas filhas no projeto, uma delas de 13 anos, já atuando como voluntária, se emocionou aos vê-las se emocionou ao vê-las se apresentando no palco. Quem também ficou impressionado com as apresentações foi Bruno Felipe, coordenador de pós-venda da Aster Máquinas, revendedora da John Deere. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Elaine Brito, uma das fundadoras da Apascentar, mostrou satisfação pelo crescimento do projeto, que hoje é acolhida por toda a sociedade sidrolandense.