De olho na eleição, MDB troca Puccinelli por Mochi no comando

Partido começa a definir nomes pensando no pleito de 2020. Sigla prevê de 40 a 50 candidatos a prefeito

Junior Mochi ao lado de André Puccinelli após reunião no MDB - (Foto: Paulo Francis)

O MDB anunciou nesta segunda-feira (18) a troca no comando do diretório regional já de olho nas eleições municipais de 2020. O ex-governador André Puccinelli deixa o cargo, que será assumido pelo ex-deputado estadual Junior Mochi.

“Eu que pedi para que pudesse ficar mais liberto. Tenho que dar expediente, assinar [função de presidente do diretório]. Inclusive a sugestão do nome do mochi foi minha, no sentido que eu possa atuar melhor por não estar preso [à função]”, afirmou Puccinelli.

Segundo Mochi, a saída de Puccinelli se deve a possibilidade de compromisso no ano que vem. “O atual presidente [Puccinelli] fez junto aos demais uma colocação de que o fato dele ter o projeto de ser candidato ao executivo municipal [de Campo Grande], não tenha obrigação de todo fazer expediente no diretório e indicou que gostaria que fosse eu o próximo presidente”, comentou.

De acordo com o ex-deputado, a indicação foi unânime pelos filiados. Mochi já declarou que o partido mira ter entre 40 e 50 candidatos de prefeituras no Estado.

“Estamos conversando com os deputados estaduais, que conhecem a realidade. Para o MDB, o mínimo é de 40 a 50 candidatos, onde estivermos aliança pré-estabelecida, indicar o candidato a vice e fazer o maior número possível de vereadores”, disse.

Segundo Puccinelli, a convenção está prevista para 15 de dezembro. “Consensualmente o nome sugerido do Junior Mochi foi aceito como unanimidade, Renato Câmara (deputado estadual) nosso secretário-geral no Estado, Eduardo [Rocha, deputado estadual] vai ser o líder do partido, então foi tudo consensual”, completou.