Sampaoli revela reunião com presidente do Santos na segunda e volta a negar que tenha ofertas

Técnico se encontrará com José Carlos Peres para decidir se ficará ou sairá do Peixe

Sampaoli na partida contra o Flamengo — - Foto: Maurício de Souza / Estadão Conteúdo

Jorge Sampaoli vai decidir nesta segunda-feira seu futuro. Após a goleada por 4 a 0 sobre o Flamengo, o técnico do Santos revelou na entrevista coletiva que terá uma reunião com o presidente José Carlos Peres para definir se continuará no clube em 2020 ou se sairá. Ele é cotado para assumir o Palmeiras e já chegou a conversar com o Racing, da Argentina.

– O que posso falar é que estou muito agradecido pelo carinho e por terem me abraçado no ano. O grupo de jogadores mostrou um espetáculo único contra o campeão. Partida incrível. Agora, sim, vou começar a pensar no futuro. Até ontem não pude pensar em nada. Amanhã tenho reunião com presidente. Já falei previamente com ele no sábado, mas adiamos a reunião. Tudo que vivi nessa cidade tem que ser um ponto de partida. Este ano, os jogadores jogaram um futebol que produzimos como cultura. Foi um ano muito atrativo em uma competição muito difícil. Tentamos impor nossa forma de jogar até hoje. Agora vou pensar no futuro. Sou um profissional que sei até onde posso chegar com o que tenho. Tem processos de alegrias e de dores. Foi um dos lugares mais felizes que passei na minha carreira – afirmou Sampaoli.

– Depois de um ano extremamente exigente, encontramos uma forma de jogar em um campeonato muito competitivo. Nós, como corpo técnico, tivemos que aprender muito. Tivemos que construir um modo de protagonizar, e a equipe conseguiu se manter nos primeiros lugares. Por sorte, neste último jogo, estabelecemos que temos que colocar nossa camisa no lugar mais alto possível. Para mim, hoje os treinadores são objetos que se manipulam. Não chegou nenhuma oferta concreta para mim. Vou avaliar meu futuro, mas minha prioridade é me reunir com o Peres e ver o que é melhor para o Santos.

– Meu sonho é que esse time que jogou aqui hoje tenha essa forma de jogar em qualquer lugar. No Brasil é onde estão os melhores jogadores, e é aqui que os times têm que jogar assim. O Santos necessita ganhar coisas importantes e tem que se potencializar para enfrentar outras grandes potências que seguem se reforçando – disse Sampaoli.

O técnico foi questionado na coletiva se descartava trocar o Santos por um rival. Neste caso, o Palmeiras. Mas ele desconversou.

– Os ídolos estão pintados na parede. Não tenho capacidade de estar pintado nas paredes do Santos. Trabalhei e lutei, mas tenho que pedir desculpas por ter perdido a linha em alguns jogos. Cada projeto oficial que chega até mim, tenho que analisar. Amanhã, o Santos determinará o projeto que teremos. Aí vou ver meu futuro. Ainda não analisei nenhuma possibilidade.

Jorge Sampaoli reforçou que precisa da chegada de novos jogadores para permanecer no Santos no próximo ano.

 

– Na verdade não tenho necessidade de mentir. O presidente me contestou no sábado depois de muito tempo, com diretor esportivo. Venho me apresentar um projeto para segunda. Segundo, não tinha nenhuma pessoa que me representava. Para falar de um projeto, eu tenho que me juntar com gente que me queira. Eu não me juntei com ninguém. Tenho que analisar um lugar que posso ir, mas não tive tempo para analisar isso. Hoje jogamos uma final. Para manter o segundo lugar, tínhamos de ganhar. Teve suspensões do Pará, Jonatan, Luan... Lesão de Evandro... Agora tem tempo, tempo de pensar se fico em um clube que me deu oportunidade de trabalhar.

*Colaborou sob supervisão de Carlos Augusto Ferrari.