Em MS, acidentes no trânsito aumentaram acompanhando a curva da covid

Ocorrências atendidas pelos bombeiros mostram que em comparação a abril, junho representou aumento de 41%.

No dia 24 de junho, moto colidiu na traseira de caminhão na região da Vila Progresso, na Capital - (Foto: Paulo Francis)

Em Mato Grosso do Sul dados sobre acidentes de trânsito atendidos pelo Corpo de Bombeiros – um dos socorristas desses casos – indicam que quando a pandemia era menor em números, assustava mais e as pessoas ficavam mais em casa.

É uma das interpretações, já que os bombeiros registraram menos acidentes de trânsito em abril, início da pandemia no Estado, com regras mais rígidas na Capital e fluxo menor de veículos, mas em junho, as ocorrências voltam a crescer.

Em comparação a abril, junho representou aumento de 41% em acidentes de trânsito. No último mês, quando a curva da covid-19 já estava acelerada com aumento de casos e de mortes, Mato Grosso do Sul registrou a pior taxa de isolamento social. É como se a pandemia, mais letal, não assustasse quem é visto em festas, aglomerações ou fora de casa quando pode escolher estar seguro.

Em abril ocorreram 8 mortes pela covid-19 em Mato Grosso do Sul, segundo os registros oficiais. Em junho, ocorreram 65, oito vezes mais. Da primeira morte em março até o final de abril foram 9 óbitos pela covid, mas o Estado terminou junho com 85 mortes, aumento de mais de 800%.

Enquanto em abril o Corpo de Bombeiros atendeu 722 acidentes de trânsito em todo o Estado, nas cidades e estradas, em junho foram 1023. Em junho a média de isolamento social no Estado foi de 38,5%, a pior registrada no levantamento, quando o ideal é, no mínimo, 60%.

“A gente percebe desde o início da pandemia que foi em março, que em março, abril, maio, foram números menores, com isolamento social. Houve medidas tomadas pelos governos municipais e estadual, diminuiu fluxo nas ruas, houve diminuição das pessoas circulando e nisso diminuíram os acidentes atendidos pelo Corpo de Bombeiros”, comenta o coronel do Corpo de Bombeiros Fernando de Almeida Carminati.

“Foi sendo feita liberação de locais, voltando a rotina, voltou esse fluxo normal de acidentes”, complementa o coronel.

Campo Grande, que teve dias de quarentena mais rígida em abril, teve 259 acidentes de trânsito atendidos pelos bombeiros. Em junho, 422, o que corresponde a 41% do total de registrados pelos bombeiros nos 79 municípios do Estado.

Este ano, mesmo com os números crescendo em junho, a pandemia provocou alteração do fluxo de veículos em todo o Brasil e isso também se reflete nos acidentes. Além disso, algumas cidades do interior foram mais rígidas na quarentena, mesmo por períodos curtos. Guia Lopes da Laguna, por exemplo, teve lockdown após um frigorífico espalhar o novo coronavírus em toda a cidade.

De março a junho, as ocorrências atendidas pelos bombeiros apresentaram queda de 21% em relação ao mesmo período de 2019. Enquanto em 2019 foram registrados 4539 acidentes em todo o Estado, em 2020 o número cai para 3577 entre março e junho.

Chama a atenção que mesmo com menos acidentes, o número de vítimas é o mesmo: 51 mortos em acidentes de trânsito, entre março e junho de  2019 e de 2020, segundo dados do Corpo de Bombeiros.

“O que a gente verificou é devido a cada prefeito ter a autoridade do que vai ser feito em cada cidade, teve cidades que decretaram lockdown, teve outras que teve circulação bem restrita. Agora a gente percebe nas nossas barreiras que o fluxo continua normal. No primeiro momento que houve mesmo a diminuição de circulação a taxa de isolamento era muito maior”, comenta o coronel.

Covid – Já são 13.934 casos de covid confirmados nesta terça-feira (14), um acréscimo de 473 novos casos que entraram no boletim divulgado pela secretaria estadual de saúde durante a manhã. Só Campo Grande responde por 196 entre o total de novos casos. Já são 177 mortes confirmadas em todo o Estado.