Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 30 de Novembro de 2016 - 14:06

Aos 60 anos e depois de prestar 21 vezes o exame da OAB, enfim o sonho de advogar

Hoje você vai conhecer a biografia de José Luiz Moura de Olindo, protagonista de uma história que envolve muita determinação.






 

Zé Luiz com sua esposa Márcia Olindo, na entrega da Carteira da OAB -
Foto: Reprodução / Facebook


 
 

Sabe aquelas histórias de superação que comumente vemos nos filmes Hollywoodianos como, por exemplo, “À Procura da Felicidade” (2006), - protagonizado por Will Smith - que se vê em um ponto de sua vida em que tem que se reinventar para garantir a sobrevivência dele e do seu filho? Pois bem, materializar os sonhos na maioria das vezes não é uma tarefa fácil, mas se tiver persistência, será a única certeza que fará sentido à vida.

Hoje você vai conhecer a biografia de José Luiz Moura de Olindo, protagonista de uma história que envolve muita determinação. O sonho de ser chamado de doutor, usar um terno para ir ao trabalho, ter em sua trajetória a marca de um vencedor, inspirou este Bonitense por 45 anos.

Foi com esta idade que ingressou na faculdade de Direito depois de ter sido reprovado em sua primeira tentativa. Chegou a cursar um semestre de Ciências Contábeis, mas acabou desistindo porque sua vontade era atuar na área do direito. Retornou ao banco da faculdade, mas desta vez, para um novo desafio; vestibular para o curso de direito. Em 2002 começou a escrever estas páginas em sua vida, agora, como acadêmico do curso desejado na UNAES.

O começo

“Zé Luiz”, como é chamado por amigos e familiares, é natural da cidade turística de Bonito, filho de Sebastião Olindo e Eloiza Moura de Olindo. Nasceu na Fazenda Três Morros no dia 8 de dezembro de 1956, de uma família grande de 14 irmãos. Em meados de 1963, os pais resolveram tentar a vida em Sidrolândia. O pai era colchoeiro, para complementar a renda, os filhos ajudavam seu Sebastião a desenvolver o negócio.

Naquela época, estudar era coisa de gente “graúda”, dialeto que era sinônimo de quem tinha posse, poder aquisitivo; o rico, em resumo. A família morava próximo aos trilhos, numa residência simples de chão batido. Sem condições de estudar a vida foi passando a limpo, os desafios batiam a porta e o tempo, como sempre, não ‘perdoa os que dormem’.

Casou-se com Márcia Aparecida Soria de Olindo em 1981. A conheceu quando serviu o quartel, por intermédio da irmã dele. Onde começaram uma linda história de amor, e fruto disso, tiveram a filha, Fernanda Olindo.

Foto: Arquivo Pessoal

O nosso personagem só concluiu o segundo grau na época (hoje o ensino médio) aos 44 anos, quando em 2000 foi chamado para trabalhar na Câmara Municipal, pelo então presidente, Newton Renato Couto. O médico clínico geral, teve uma participação especial na vida de “Zé Luiz”, porque foi Dr. Renato quem o incentivou a estudar, pagando inclusive um curso intensivo no instituto CESM, onde concluiu em 4 meses o segundo grau.

Vida acadêmica

Já em 2002, prestou seu primeiro vestibular pra Direito na Uniderp, porém não conseguiu ser aprovado. Era hora de usar da sua vontade de vencer novamente. Quando chegou no 2° semestre, fez mais um vestibular, escolheu Direito e Ciências Contábeis. Passou pra Ciências Contábeis, porém, estudou somente até outubro. Não era o que ele queria realmente.

Sabendo que não pararia por aí, certo dia, andando com amigos em Campo Grande, viu um folheto caído no chão. Curioso, foi ler, e era a propaganda de um vestibular em ICG (que hoje é FACSUL) pra Direito. Não pensou duas vezes, fez o vestibular e passou. Enfim, era o curso incluso nos seus planos.

Ele que nunca mediu esforços, trabalhava o dia todo no escritório do irmão (Doutor David Moura de Olindo), e estudava de noite. Com a rotina agitada, o tempo para estudar durante o dia era mínimo. Os horários de almoço ficavam curtos, pois morava distante do trabalho, na região do Carandazal, e muitas vezes ia a pé. E foram 5 anos “matando um leão por dia”.

Em 2007 colou grau, e no início de 2008 se formou. Os desafios começaram aí, e a história da sua persistência e vontade de vencer também, começam a ser testadas.

Foto: Arquivo Pessoal

Colação de grau em 2007 e formatura em 2008.

Desafios da OAB

“Zé Luiz” sabia o que o aguardava, só não imaginava que teria que ser insistente no sonho. E em 2008 fez seu primeiro Exame da OAB. Porém, não conseguiu êxito. Mas não desistiu. Estudou muito, começou a ler todos os códigos dias antes de cada prova, levando isso como hábito. Fez somente dois cursinhos, sendo um no terceiro e no último exame.

As matérias que mais gosta, sempre foram Ética profissional, Direito civil e penal. Ele conta que passado um tempo de duração das provas, ia cansando, como eram as últimas questões as que mais gostava, fazia as provas de trás pra frente. Nos últimos exames, começou a guardar pra si mesmo a ansiedade e datas das provas, por conta de toda a “pressão” que causava (inclusive na última prova foi sozinho).

Foram 21 exames feitos, sem desistir sempre. E em fevereiro de 2015 foi aprovado. Um sonho sendo realizado, e uma felicidade sem explicação. Porém, na data, estava trabalhando como Diretor de Trânsito, pintava muros, placas, (e não tem vergonha em dizer) o que viesse. Pediu demissão do seu cargo e em agosto de 2015 pegou a carteira da OAB. Não só ele, como a família toda vibraram com a sua conquista.

Foto: Arquivo Pessoal

Recebendo sua carteira da OAB.

Anos de luta para os dias de glória chegarem. Hoje o Doutor José Luiz Moura de Olindo, atua no escritório de advocacia Moura de Olindo, juntamente do irmão que lhe cedeu uma sala. Diz que tudo foi no tempo em que Deus planejou. Era pra ter iniciado em 2008, aprovado em 2015, sem questionar. E deixa uma lição de vida por tudo que passou, sem desistir ou questionar.

Foto: Arquivo Pessoal

Entrega da carteira da OAB com esposa, sobrinhos e filha.

 








Danielle Martins / Região News


Reportar Erros



 


 
.
SIDROLÂNDIA - MS

Exemplo de superação; sem uma das mãos, laçador coleciona inúmeras conquistas
 
 
  • Notícias
  • + Lidas

1

Usuário de drogas, “Abacaxi”, foi assassinado e o corpo encontrado no São Bento

Leia mais


2

JBS doou R$ 57 mil para campanha de Daltro; quase 19% da contribuição que recebeu

Leia mais


3

Transferida para Campo Grande, defensora recebe moção de congratulação da Câmara

Leia mais


4

Mulher conversa com ex, namorado aparece e mata rapaz com dois tiros na cabeça

Leia mais


5

Assaltante que roubou R$ 1 milhão em MS morre no Maranhão

Leia mais








© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING