Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 09 de Fevereiro de 2017 - 15:29

Ultrapassar limites com limites

Vencer barreiras e superar limites aumenta a autoconfiança e estimula a sensação de prazer e bem-estar, mas é preciso fazer isso com segurança






 

Competidoras cruzam linha de chegada -
Foto: iStock/Getty Images


 
 

Muitas vezes confundimos superação com exagero. É comum vermos atletas extenuados, cobertos de suor e declarando que a dor faz parte do uniforme. Em parte, isso é verdade, mas sabemos que o esporte de alto rendimento muitas vezes não é saudável. Esse é um assunto complexo que não cabe discutir aqui, mas que acaba influenciando quem faz atividade física com outros objetivos, como a prevenção de doenças e a manutenção da saúde.

Durante e após a atividade física é comum sentirmos desconfortos, mas é preciso lembrar que esses desconfortos são sinais que o corpo envia, avisando que nem tudo está perfeito.

Dor de cabeça, no peito ou abdominal, tontura, desmaio, enjoo, suor profuso, tremor, frequência cardíaca muito acelerada, falta de ar e câimbras são os mais comuns e suas causas, as mais variadas.  É prudente estar atento a esses sinais, que em geral podem ser esclarecidos em uma consulta médica, mas podem eventualmente exigir maiores cuidados.

Durante a atividade física é frequente que ocorra:

Hipoglicemia – A glicose é uma das fontes de energia para o organismo. O baixo nível de açúcar no sangue causa a hipoglicemia, que pode se manifestar com tontura, moleza, desmaio, aumento exagerado da frequência cardíaca e dor de cabeça. Refeições e horários adequados podem prevenir a hipoglicemia.

Contratura muscular – A falta de relaxamento adequado, com persistência de um grau de contração aumentado, pode desencadear dores musculares. Quando os músculos afetados estão na região do pescoço, a compressão dos nervos dessa região pode causar dor de cabeça.

Alterações vasculares – Durante a atividade física ocorre uma importante mudança no fluxo sanguíneo para os músculos em atividade e para o cérebro; se essa vasodilatação permanece, pode provocar dor de cabeça.

Desidratação – Talvez seja o fator prevalente e responsável por uma variedade de sinais e sintomas que se confundem com a hipoglicemia, como tontura, moleza, desmaio, aumento exagerado da frequência cardíaca, queda da pressão arterial, câimbras e dor de cabeça. Quanto mais alta a temperatura e a umidade relativa do ar, maior a probabilidade de desidratação e, portanto, é necessário maior atenção à hidratação durante os exercícios.

Quebrar a comodidade, sair da zona de conforto é importante física e mentalmente; é exatamente isso que faz com que o organismo crie adaptações e fique melhor.

Vencer barreiras, superar limites aumenta a autoconfiança e estimula a sensação de prazer e bem-estar, o que é fundamental para uma boa qualidade de vida.

É preciso, porém, fazer isso com segurança, evitar riscos desnecessários e obter somente os benefícios.









Paulo Zogaib


Reportar Erros



 


 
.
ARTIGO

Angústia e incerteza do trabalhador
ARTIGO

Artigo: Superávit previdenciário
Geral

Energisa assina parceria em projeto de eficiência energética em órgão público
ARTIGO

Erro médico e sua complexidade
 
 
  • Notícias
  • + Lidas

1

Usuário de drogas, “Abacaxi”, foi assassinado e o corpo encontrado no São Bento

Leia mais


2

JBS doou R$ 57 mil para campanha de Daltro; quase 19% da contribuição que recebeu

Leia mais


3

Transferida para Campo Grande, defensora recebe moção de congratulação da Câmara

Leia mais


4

Mulher conversa com ex, namorado aparece e mata rapaz com dois tiros na cabeça

Leia mais


5

Assaltante que roubou R$ 1 milhão em MS morre no Maranhão

Leia mais








© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING