Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 18 de Maio de 2017 - 13:47

Brasil tem 2,9 milhões pessoas desempregadas há mais de 2 anos, diz IBGE

Maior parte da população de desempregados leva de um mês a um ano para conseguir trabalho. Prolongamento da crise tende a aumentar o tempo médio de espera por recolocação no mercado.






 


Foto: Divulgação


 
 

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que 2,9 milhões de desempregados buscavam, no primeiro trimestre deste ano, se recolocar no mercado de trabalho há mais de dois anos.

O número de desempregados no primeiro trimestre no país era de 14,2 milhões, segundo IBGE. O detalhamento da pesquisa sobre a busca por emprego mostra, então, que cerca de 1/5 desta população está sem trabalho há mais de dois anos.

“Com o alongar da crise econômica que vem atravessando o país o número de pessoas desocupadas vem aumentando de forma gradativa. Consequentemente, vai aumentar também o tempo de procura por trabalho”, afirmou Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Segundo a pesquisa, no primeiro trimestre do ano passado, 18% dos desempregados estavam na fila por emprego há mais de dois anos. No primeiro trimestre deste ano chegou a 20% este percentual.

Do total de desempregados no primeiro trimestre deste ano, 1,8 milhão buscava emprego há menos de um mês. Já para 2,5 milhões, o tempo de procura estava acima de um ano e abaixo de dois.

A maior parte da população de desempregados, 6,8 milhões de pessoas, procurava por novo trabalho há mais de um mês, mas há menos de um ano.

“O Brasil sofre hoje uma das maiores quedas em termos de contingente de pessoas ocupadas no mercado de trabalho. Consequentemente isso arrasta um contingente expressivo para a fila da desocupação”, destacou o pesquisador do IBGE.

Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, os setores que mais demitiram, segundo o detalhamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) foram a agricultura, a construção e a indústria. A queda no número de postos de trabalho em cada um destes setores neste período foi, respectivamente, de 758 mil, 719 mil e 319 mil vagas.









G1


Reportar Erros



 


 
.
BRASIL

Meirelles diz que meta de inflação para 2019 pode ser reduzida
BRASIL

Maia sanciona lei que libera remédios para emagrecer, informa Casa Civil
EMPREGO E RENDA

Indústria de MS acumula saldo positivo de 1,1 mil vagas de emprego no ano
MATO GROSSO DO SUL

Sicredi anuncia R$ 14,8 bi para safra 17/18 com foco no pequeno e médio produtor
 
 
  • Notícias
  • + Lidas







© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING