Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 19 de Maio de 2017 - 07:21

Senna, negação e puxão de orelha: Bota recupera brio e identidade na Libertadores

Técnico Jair Ventura provoca e desafia os atletas antes do jogo, equipe recupera espírito copeiro e avança às oitavas de final da Taça Libertadores com méritos






 

Jogadores do Botafogo comemoram classificação na Libertadores da América -
Foto: Satiro Sodré/SSPress/Botafogo


 
 

Um puxão de orelhas, esporadicamente, fez bem. Por vezes, se faz até necessário. Nesta quinta, o Botafogo voltou a ser o time que encantou no início da Libertadores. Foi organizado, dedicado e, acima de tudo, aguerrido. Uma equipe com brio e identidade. Mas a vitória por 1 a 0 diante do Atlético Nacional, atual campeão, começou momentos antes do início da partida: na preleção.

Para motivar, mostrar a importância da superação e resgatar o espírito do início da Libertadores, o técnico Jair Ventura apresentou ao elenco um vídeo sobre Ayrton Senna e algumas barreiras que o tricampeão da Fórmula 1 teve que enfrentar para se tornar um vencedor. Além disso, a comissão técnica também adotou uma estratégia diferente e fez uso da "negação", provocando os atletas e dizendo que eles não seriam capazes de passar por alguns obstáculos.

- O Jair é um técnico maravilhoso. Além de motivador... Se um dia você tiver a oportunidade de assistir uma preleção dele... Os jogadores saem babando na gravata e querendo ganhar o jogo de qualquer maneira. É um grande ponto que o Botafogo tem. No final da preleção passaram um filme sobre o Ayrton, as etapas que ele passou... Isso motiva - afirmou Cacá Azeredo, vice de futebol do Botafogo.

De fato, os jogadores entraram em campo “babando na gravata” desde o apito inicial e resgataram a identidade aguerrida dos primeiros jogos na Libertadores. Deu certo. Os colombianos pouco ameaçaram, o time voltou a vencer a garantiu a vaga nas oitavas de final com uma rodada de antecedência.

Por conta das atuações apáticas e irreconhecíveis nas derrotas para Barcelona de Guayaquil e Grêmio, o Botafogo já vinha sofrendo críticas quando à queda de rendimento nos últimos jogos. Jair Ventura reconheceu que estava faltando algo, mas disse que a cobrança e, especialmente a mudança de postura, foram algo interno, que partiu deles próprios.

- A nossa motivarão e mudança de postura tem que ser interna. Estávamos incomodados. Quem tem que mudar a situação somos nós. Sabíamos da nossa responsabilidade. Sofremos uma derrota em casa, mas ficou claro que aquilo foi o acaso.








Globo Esporte


Reportar Erros



 


 
.
MMA

Em busca de recorde, Miocic encara gigante Ngannou na luta principal do UFC 220
VÔLEI

Líder Cruzeiro recebe o lanterna Maringá, que mira primeira vitória na Superliga
BASQUETE

Para embalar, Basquete Cearense recebe Pinheiros no returno do NBB
FUTEBOL

Após acertar com volante do Schalke, Bayern pode negociar Vidal com o Chelsea
 
 
  • Notícias
  • + Lidas







© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING