Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 17 de Julho de 2017 - 13:08

Geada antes da colheita pode prejudicar 200 mil hectares de milho

Segundo ele, em torno de 14% a 15% das áreas plantadas nesses municípios ainda estão na fase de conclusão da lavoura.






 

Quando atinge estágio mais seco, milho deixa de ser afetado pela geada
Foto: Marcos Ermínio


 
 

Cerca de 200 mil hectares de milho plantado tardiamente em Mato Grosso do Sul correm o risco de serem afetados pela geada prevista a partir desta terça-feira (17). Serviços de meteorologia afirmam que a temperatura mínima deve chegar a 0°C, que aliada ao tempo sem nuvens e vento pode congelar o orvalho sobre as plantas.

Leonardo Carlotto, analista em agricultura da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado) afirma que na região sul, que deve ser a mais afetada pelo frio, Naviraí, Maracaju, Antônio João, Caarapó e Dourados tiveram alguns hectares do grão semeados com atraso e dependendo do estágio da lavoura, eles podem sofrer com a intempérie.

Segundo ele, em torno de 14% a 15% das áreas plantadas nesses municípios ainda estão na fase de conclusão da lavoura.

“Pode ser que eles sejam afetados ou não, depende da intensidade da geada e do grau de desenvolvimento que eles estavam. Se encheu o grão, e estava em processo de secagem, saindo do pastoso para o farináceo, ou seja, naquele estágio em que aperta o grão e ele esfarela, não vai afetar em nada. Mas se estava na fase de grão mais pastoso ou leitoso, que ainda está recebendo água, aí sim é um problema”, explica.

A variedade do milho plantado é outro fator que pode aumentar ou diminuir o risco com a geada. Carlotto explica que existem algumas espécies mais precoces, que com 120 dias já estão entrando na fase de secagem e se preparando para a colheita. Nesse caso, seriam menos afetados pelo frio.

Tempo - Depois de enfrentar temperaturas mínimas em torno dos 4°C nesta segunda-feira, municípios na região de fronteira com o Paraguai podem ter os termômetros zerados e sensações térmicas negativas amanhã.

Luiz Souza, meteorologista do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) disse ao Campo Grande News que Ponta Porã deve ser uma das cidades mais afetadas.

Hoje o município registrou 4,6°C como sua menor temperatura, mas amanhã os termômetros marcam 0C e o orvalho sobre a vegetação deve congelar.

Segundo ele, em Porto Murtinho o dia deve amanhecer com os termômetros marcando em torno de 1°C nessa terça-feira. A mínima registrada hoje no município foi de 8°C, ou seja, a temperatura deve despencar 7°C durante a madrugada.

Já Juti e Itaquiraí registraram mínima de 7,9°C, segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). “Chuva só deve ter hoje. Amanhã o tempo abre”, completa o meteorologista.

Embora o frio incomode muita gente, a frente fria e a nebulosidade por ela trazida melhoram a umidade relativa do ar, que na região sul do estado pode chegar a 80%, quebrando a rotina de tempo seco registrada nas últimas semanas.

 









Campo Grande News


Reportar Erros



 


 
.
ECONOMIA

Governo vai recuperar crédito pago a pessoas que já morreram
ECONOMIA

Justiça Federal em Brasília suspende aumento de impostos sobre combustíveis
ECONOMIA

Prestes a ser privatizada, MSGás tem o pior resultado de vendas desde 2011
ECONOMIA

Pesquisa diz que a cada 16,8 segundos uma tentativa de fraude é aplicada no país
 
 
  • Notícias
  • + Lidas

1

Ladrão entra pela janela do banheiro, leva notebook e várias peças de roupa

Leia mais


2

Gaeco e Bope fazem operação para combater o crime organizado em MS

Leia mais


3

Ciclista morre na MS-386 vítima de atropelamento em Amambai

Leia mais


4

JBS celebra acordos com bancos para pagar R$ 21 bilhões em dividas

Leia mais


5

Mato Grosso do Sul tem a maior estiagem dos últimos nove anos

Leia mais








© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING