Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 11 de Agosto de 2017 - 07:43

Em prisão preventiva, mulher sustenta desconhecer gravidez e nega que enterrou feto

L.B sustenta que desconhecia estar grávida embora há seis meses não menstruasse.






 

Em prisão preventiva, mulher sustenta desconhecer gravidez e nega que enterrou feto -
Foto: Arquivo/Região News


 
L.B Disse que não se lembra de ter abortado no banheiro do seu local de trabalho (a Seara) na noite da última segunda-feira"
 

Em prisão preventiva desde a última quarta-feira (9), decretada pelo juiz Fernando Moreira, a trabalhadora L.B, de 35 anos, acusada de provocar aborto aos oito meses de gravidez e enterrar o corpo da criança no quintal de casa no Quebra Coco, nos depoimentos ao juiz, à Polícia e na conversa com o defensor público Cássio Sanches Barbi, manteve a mesma versão com alguns “apagões” de memória que dificultam a construção de um enredo verossímil de todo o episódio.

L.B sustenta que desconhecia estar grávida embora há seis meses não menstruasse. Atribuiu a interrupção ao anticoncepcional que vinha usando. Disse que não se lembra de ter abortado no banheiro do seu local de trabalho (a Seara) na noite da última segunda-feira.

L.B no depoimento ao delegado Carlos Eduardo Trevelin contou que no dia do aborto, última segunda-feira, por volta das 21h30, durante seu turno de trabalho passou mal e foi ao banheiro, quando percebeu a hemorragia vaginal, que imaginou ser menstruação.

A partir daí seu depoimento é pouco esclarecedor. Disse não se lembrar de onde a criança nasceu, se estava viva ou não. Conta que desmaiou e se recorda de ter acordado entrando no ônibus no retorno para casa em Quebra Coco, onde seu marido a esperava no ponto. Em casa, prosseguiu no relato, como a hemorragia se mantinha, seu marido a trouxe para ser atendida em Sidrolândia.

No hospital, o plantonista a questionou sobre uma possível gravidez, mas ela negou, revelando apenas o atraso menstrual. Com base na ultrassonografia o médico percebeu a dilatação do útero e concluiu que a paciente estivera gestante há poucos dias. Diante da suspeita de que a trabalhadora provocara o aborto, o médico comunicou a Delegacia.

No dia seguinte, terça-feira os policiais iniciaram as investigações e concluíram que de fato L.B tinha abortado uma criança dentro do banheiro do Frigorífico Seara. Em diligência no distrito de Quebra Coco, interrogaram o marido dela, identificado como Gregório. Ele admitiu ter enterrado o corpo do bebê, encontrado por suas filhas na mochila da mulher que a deixou sobre a cama.

No desespero, teria resolvido abrir uma cova de 30 centímetros onde enterrou o corpo. Argumentou que segunda-feira à noite, na pressa de trazer a mulher para atendimento em Sidrolândia, não teria percebido nada de anormal na mochila. Ele diz que desconhecia a gravidez da esposa.

Leia mais: Polícia prende mulher acusada de enterrar feto de 8 meses no quintal de casa








Flávio Paes/Região News


Reportar Erros



 


 
.
SIDROLÂNDIA - MS

Reinaldo descarta reduzir para 7% ICMS após acordo para JBS reabrir frigoríficos
SIDROLÂNDIA - MS

Moradores da João Straliotto enfrentam alagamentos e ficam ilhados em dia de chuva
EDUCAÇÃO

Enem 2017: esquema para análise das redações terá 9 mil corretores
BRASIL

Câmara analisa mudanças na legislação de planos de saúde para beneficiar idosos
 
 
  • Notícias
  • + Lidas

1

Ciclista de 38 anos morre depois de ser atropelado por caminhão

Leia mais


2

Escolas têm até novembro para avaliar alunos para programa Mais Educação

Leia mais


3

Pesquisa da ONU alerta para alto número de gestantes adolescentes no Brasil

Leia mais


4

Terminam no dia 3 inscrições do IFMS para cursos integrados ao ensino médio

Leia mais


5

Campanha Natal sem Fome pretende arrecadar 500 toneladas de alimentos

Leia mais








© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING