Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 11 de Agosto de 2017 - 07:43

Em prisão preventiva, mulher sustenta desconhecer gravidez e nega que enterrou feto

L.B sustenta que desconhecia estar grávida embora há seis meses não menstruasse.






 

Em prisão preventiva, mulher sustenta desconhecer gravidez e nega que enterrou feto -
Foto: Arquivo/Região News


 
L.B Disse que não se lembra de ter abortado no banheiro do seu local de trabalho (a Seara) na noite da última segunda-feira"
 

Em prisão preventiva desde a última quarta-feira (9), decretada pelo juiz Fernando Moreira, a trabalhadora L.B, de 35 anos, acusada de provocar aborto aos oito meses de gravidez e enterrar o corpo da criança no quintal de casa no Quebra Coco, nos depoimentos ao juiz, à Polícia e na conversa com o defensor público Cássio Sanches Barbi, manteve a mesma versão com alguns “apagões” de memória que dificultam a construção de um enredo verossímil de todo o episódio.

L.B sustenta que desconhecia estar grávida embora há seis meses não menstruasse. Atribuiu a interrupção ao anticoncepcional que vinha usando. Disse que não se lembra de ter abortado no banheiro do seu local de trabalho (a Seara) na noite da última segunda-feira.

L.B no depoimento ao delegado Carlos Eduardo Trevelin contou que no dia do aborto, última segunda-feira, por volta das 21h30, durante seu turno de trabalho passou mal e foi ao banheiro, quando percebeu a hemorragia vaginal, que imaginou ser menstruação.

A partir daí seu depoimento é pouco esclarecedor. Disse não se lembrar de onde a criança nasceu, se estava viva ou não. Conta que desmaiou e se recorda de ter acordado entrando no ônibus no retorno para casa em Quebra Coco, onde seu marido a esperava no ponto. Em casa, prosseguiu no relato, como a hemorragia se mantinha, seu marido a trouxe para ser atendida em Sidrolândia.

No hospital, o plantonista a questionou sobre uma possível gravidez, mas ela negou, revelando apenas o atraso menstrual. Com base na ultrassonografia o médico percebeu a dilatação do útero e concluiu que a paciente estivera gestante há poucos dias. Diante da suspeita de que a trabalhadora provocara o aborto, o médico comunicou a Delegacia.

No dia seguinte, terça-feira os policiais iniciaram as investigações e concluíram que de fato L.B tinha abortado uma criança dentro do banheiro do Frigorífico Seara. Em diligência no distrito de Quebra Coco, interrogaram o marido dela, identificado como Gregório. Ele admitiu ter enterrado o corpo do bebê, encontrado por suas filhas na mochila da mulher que a deixou sobre a cama.

No desespero, teria resolvido abrir uma cova de 30 centímetros onde enterrou o corpo. Argumentou que segunda-feira à noite, na pressa de trazer a mulher para atendimento em Sidrolândia, não teria percebido nada de anormal na mochila. Ele diz que desconhecia a gravidez da esposa.

Leia mais: Polícia prende mulher acusada de enterrar feto de 8 meses no quintal de casa








Flávio Paes/Região News


Reportar Erros



 


 
.
BRASIL

Temer planeja anunciar criação de Ministério da Segurança Pública após carnaval
MATO GROSSO DO SUL

Sefaz disponibiliza canal de atendimento virtual ao cidadão por meio da ...
MATO GROSSO DO SUL

Aberto cadastro de profissionais para atuarem em Cursos Técnicos na Educação ...
BRASIL

Temer anuncia força-tarefa para cuidar do fluxo migratório de venezuelanos em Roraima
 
 
  • Notícias
  • + Lidas







© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING