Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 27 de Outubro de 2020

Artigos

"Do voto a governabilidade de um povo", por Marcos Tomé

Meus amigos e amigas, nestas eleições de 2012 a todos que torceram que foram as ruas em defesa de suas convicções, meus parabéns.

26 de Outubro de 2012 - 08:32

Aos que semeiam a inveja, raiva, ira, ódio, o meu desprezo. Carlos Drummond de Andrade já diz que “a vida é uma grande torcida”. Façamos jus esta celebre frase que retrata exatamente o dia-dia daqueles que acreditam em algo, que saem de suas “catapultas sóbrias” e se abrem ao desconhecido, ao novo.

Feliz é o homem que acredita em suas próprias convicções, que não se deixa influenciar pelo poder ou pela pratica dele. Algumas pessoas estão incrustadas pelo sentimento da inveja ao ponto de se acharem únicas num cenário diversificado de ideias, mal sabem elas que na engrenagem complexa da reinvenção da vida são como grãos de área ao redor do mar.

Não sou o único a ter o pensamento da livre escolha, afinal, nosso País é de todos os brasileiros e brasileiras. Nesta nação com mais de 200 milhões de pessoas onde crenças e raças se misturam numa verdadeira miscigenação, aquele que se auto intitular “sábio”, certamente estará fadado ao fracasso.

Meus amigos e amigas, nestas eleições de 2012 a todos que torceram que foram as ruas em defesa de suas convicções, meus parabéns. Homens e mulheres que impuseram uma bandeira tem meu respeito por entender que vida é feita de atitudes. Na vida, não seremos reconhecidos pelas nossas ideais mirabolantes e sim, por nossas ações.

Aqueles que se esconderam e que se omitiram diante ao processo terão nossa atenção dispensada. Aos que votaram 15, 40, 45 e 50, passados o momento eleitoral, não há, em minha avaliação, vencidos ou vencedores. O que precisa ser dito e compreendido por todos é que esta cidade chamada Sidrolândia é a morada de todos, por tanto, a governabilidade não pode ser em beneficio de alguns. O prefeito eleito tem compromisso com o povo independente de suas cores partidárias.

Enganam-se aqueles que pensam que ao assumir seu mandato, o prefeito irá hostilizar os 10.911 eleitores que votaram num projeto oposto ao seu. O gestor que vai assumir o comando da coisa pública é maduro o suficiente para entender o processo democrático que o elegeu prefeito e terá sim, de governar para todos.

Um grande abraço

Marcos Tomé
DRT/MS-022