Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Outubro de 2021

Economia

Páscoa deve abrir 70 mil vagas no País, segundo associação

O comércio, em contrapartida, deverá ser responsável por 40% das contratações desta Páscoa

Correio do Estado

08 de Fevereiro de 2011 - 08:20

A Páscoa deve movimentar o mercado de trabalho no Brasil. É esperada a criação de 70 mil vagas temporárias em todo o País, total 10,5% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

De acordo com a Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário), a Páscoa está entre as três melhores datas sazonais para conquistar um emprego temporário.

Posições
Os dados colocam a indústria como principal destino dos contratados. Ao todo, 60% do total de vagas temporárias do período encontram-se nesse segmento.

As funções variam entre auxiliar de produção, auxiliar de expedição, motorista, entregador, auxiliar de cozinha, promotor de venda, estoquista e operador de empilhadeira.

Conforme aponta a pesquisa, os candidatos acima de 18 anos, com ensino médio completo e facilidade para trabalhar em grupo terão mais chance. Experiência anterior pode ser um diferencial. Homens deverão representar 55% dos contratos. A remuneração ficará entre R$ 600 e R$ 1,5 mil.

O comércio, em contrapartida, deverá ser responsável por 40% das contratações desta Páscoa. As lojas estarão direcionadas na contratação de pessoas na faixa etária entre 18 e 30 anos, com ensino médio completo, criatividade, organização e bom relacionamento com o público.

Mulheres devem ficar com 55% das vagas. Experiência anterior não é pré-requisito. A remuneração deverá variar entre R$ 600 e R$ 900. As vagas são para balconista, vendedor, degustador, demonstrador e repositor.

Contratações
Segundo o levantamento encomendado ao Ipema (Instituto de Pesquisa Manager), 28% dos trabalhadores contratados deverão permanecer no emprego após o término do contrato, representando trabalho efetivo para 19,6 mil brasileiros.

Jovens sem experiência deverão preencher 22% das vagas abertas. “No comércio, o processo de contratações começou no início do ano e deverá se estender até a segunda quinzena de março”, afirma a diretora de Comunicação da Asserttem, Jismália de Oliveira Alves.

Segundo ela, este ano, a figura do promotor de vendas deverá ser fundamental em lojas e supermercados, uma vez que 80% dos produtos da Páscoa são lançamentos. “Cabe a ele apresentar e explicar as novidades aos clientes para incentivar a compra”.

O mesmo movimento ocorre na indústria, que iniciou a seleção de candidatos extras em setembro do ano passado, gerando emprego temporário para cerca de 25 mil pessoas até o momento.

Regiões
Somente a região Sudeste, composta por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, deve responder por 51,26% das contratações em todo o País.

A exposição no estado paulista é a maior, com 59,14% das contratações. Os mineiros aparecem em segundo, com 21,94%, seguidos dos fluminenses (14,86%) e dos capixabas (4,06%).

Nas demais regiões brasileiras, o Nordeste aparece na segunda colocação entre aqueles que irão efetuar o maior número de recolocações no mercado temporário. O Centro Oeste ficou em quarta colocação com 4.466 vagas e índice de 6,38%.