Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 14 de Abril de 2021

Eleições 2020

Maioria no eleitorado, mulheres vão ocupar 26% das vagas na Câmara

Flávio Paes/Região News

23 de Novembro de 2020 - 14:20

Maioria no eleitorado, mulheres vão ocupar 26% das vagas na Câmara
Vanda Camilo, Juscinei Claro, Joana Michalski e Cristina Fiúza foram as eleitas por 3 partidos. Fotos: Marcos Tomé/RN/Reprodução/Facebook

A próxima legislatura da Câmara Municipal de Sidrolândia, que começa em 1º de janeiro, vai ter um toque feminino. Pela primeira vez na história política da cidade a bancada feminina vai ocupar mais de 25% das vagas. Das 15 vagas, 4 serão ocupadas por mulheres que juntas saíram das urnas com 1.518 votos, eleitas por 3 partidos diferentes Vanda Camilo, a mais votada (689 votos) e Juscinei Claro, pelo Partido Progressista (529 votos); Joana Michalski, do PSB (528 votos) e Cristina Fiúza (462 votos), do MDB. Se uma delas for eleita presidente, caso haja eleição suplementar, os sidrolandenses poderão ter sua primeira prefeita, ainda que interinamente.

Independente das diferenças políticas, as quatro mostram disposição de atuar de forma conjunta numa pauta de questões de interesse da sociedade, não apenas do público feminino. “Não conversei ainda com as outras colegas, mas acho possível uma atuação compartilhada. Quero cumprir um mandato propositivo na busca de avanços nas áreas da saúde, assistência social, inserção econômica", comenta a assistente social Joana Michalski, que depois de três tentativas conseguiu se eleger. Ela pretende manter longe "das perfumarias", que são aquelas ações e projeto de caráter festivo, concessão de medalhas e honrarias.

Maioria no eleitorado, mulheres vão ocupar 26% das vagas na Câmara
Assistente social Joana Michalski durante campanha eleitoral. Foto: Facebook

Católica, natural de Montes Claros de Goiás, como irmã veio para Sidrolândia para concluir seus votos como religiosa, mas acabou renunciando a vocação, se casou com um descendente de polonês (daí seu sobrenome incomum), se formou em Serviço Social. Funcionária concursada da Prefeitura, trabalhou no Governo do Estado, na gestão Zeca do PT. Foi filiada ao PT e em 2012 disputou pela primeira vez uma vaga na Câmara. Obteve 186 votos. Baixo desempenho, que atribui ao racha do partido, dividido entre os candidatos a perfeito do PSDB, Enelvo Felini e Acelino Cristaldo, do PMDB. Em 2016, após sua passagem pelo comando da Secretaria de Assistência Social, ficou na suplência com 413 votos.

Melhorar a estrutura de acolhimento da mulher vítima da violência, projetos voltados a inserção dos jovens e adolescentes no mercado de trabalho, são algumas bandeiras que pretende empunhar durante o mandato.

Campeã de votos na disputa por vagas na Câmara, Vanda Camilo, não é uma neófita na política. Embora tenha estreado nas urnas, Vandinha, como é conhecida, há décadas atua nos bastidores, seja ocupando cargos no Executivo e no Legislativo, além de há anos administrar o hospital. Seu irmão, Jurandir Camilo, foi vereador e presidente da Câmara. Ajudou a eleger vereador nomes como Waldemar Acosta e Nélio Paim. As questões relacionadas a mulher e à saúde serão suas prioridades.