Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Esporte

Apresentado, Zago promete ‘time de Série A’ em ano ‘atípico’ para o Inter

Novo treinador diz que prioridade para próxima temporada é recolocar o clube na elite

Globo Esporte

13 de Dezembro de 2016 - 14:34

O primeiro passo para a reconstrução do Inter após o rebaixamento para a Série B foi dado nesta terça-feira. E começou pelo técnico. Aos 47 anos, o ex-jogador Antônio Carlos Zago recebe a primeira chance em um dos "grandes clubes" do futebol brasileiro, como ele mesmo diz, após o bom trabalho no Juventude. E prometeu montar um "time de Série A" para 2017, em um ano "atípico" na história do clube.  

Ao lado do presidente eleito Marcelo Medeiros, do novo vice de futebol Roberto Melo e do executivo Jorge Macedo, Zago contou que o acerto com a nova direção foi rápido, entre quinta e sexta-feira, e que ainda não iniciou uma análise do atual elenco. Mas garantiu que terá um time mais "competitivo" e deixou claro que a prioridade em 2017 é voltar à elite do futebol brasileiro. 

– É um ano atípico para a história do Internacional, mas estou feliz em fazer parte desse desafio – declarou Zago, antes de ser questionado sobre o time que pretende montar. – Tudo foi muito corrido, houve um contato do Inter na quinta e na sexta chegamos a um acordo. A patir de hoje vamos falar sobre o elenco do próximo ano. O importante é montarmos um elenco forte, competitivo, um elenco de Série A – completou o novo treinador colorado. 

O clube gaúcho também contratou o auxiliar Galeano e o preparador físico Carlos Pacheco - os três foram desligados do Juventude na noite deste domingo e irão capitanear o projeto para recolocar o Colorado na Série A do Brasileirão. Zago já disputaria a Série B com o time de Caxias do Sul, mas tinha um acerto verbal com o presidente do Juventude que previa liberação em caso de interesse de um dos grandes clubes do futebol brasileiro.

Na entrevista, Zago falou sobre questões como seu modelo de jogo preferido, a possível volta de D'Alessandro e também citou uma de suas maiores polêmicas de sua carreira como jogador. Antes mesmo de ser questionado pelos jornalistas, lembrou o episódio de racismo como jogador Jeovânio, do Grêmio, quando defendia o Juventude. Disse que foi uma "mancha" em sua carreira como jogador, que já pagou pelo erro e que agora tem uma carreira como treinador. 

– Todos erram, não fui o único que errei dentro de campo. Paguei na Justiça comum e em algumas conversas que tive com Deus, e isso foi o mais importante. Venho trabalhar em uma equipe que foi pioneira ao abrir as portas para as pessoas da raça negra no Rio Grande do Sul. É uma oportunidade única de me redimir de tudo aquilo que eu fiz e fazer com que as pessoas me conheçam melhor como sou fora de campo – declarou o treinador.  

Zago é visto pela nova direção do Inter como um treinador de metodologia "moderna", que sabe "ouvir" e que faz uma gestão "compartilhada", o que se encaixa no perfil buscado pelo clube. No Juventude, conquistou o acesso para a Série B neste ano. Também levou a equipe gaúcha para a final do Estadual, eliminando o Grêmio na semifinal, e esteve nas quartas da Copa do Brasil, na melhor campanha desde o título de 1999 – caiu para o Atlético-MG, nos pênaltis, após eliminar equipes como Coritiba e São Paulo. 

Veja outros trechos da entrevista:

Caso de racismo

"Vou me antecipar em relação a perguntas sobre uma mancha que ficou na minha carreira. Quero ser lembrado pelo trabalho que venho fazendo. Todos erram, não fui o único que errei dentro de campo. Paguei na Justiça comum e em algumas conversas que tive com Deus, e isso foi o mais importante. Venho trabalhar em uma equipe que foi pioneira ao abrir as portas às pessoas da raça negra no Rio Grande do Sul. É uma oportunidade única de me redimir de tudo aquilo que eu fiz e fazer com que as pessoas me conheçam da melhor maneira possível como eu sou fora de campo". 

D'Alessandro

"O D'Aalessandro vai ter um grande teste dia 21 (Lance de Craque, o jogo beneficente organizado pelo argentino no Beira-Rio). Eu vou jogar na defesa e ele no ataque. Vamos conversar bastante e procurar nos entendermos dentro de campo. O D'Alessandro é um dos três maiores ídolos da historia do Internacional. Na minha opinião, era para ter ficado no Inter, não sei o que aconteceu. Espero contar com o D'Alessandro no próximo ano"

Análise do elenco

"Não posso falar o que aconteceu no último ano porque eu não estava aqui, mas na minha opinião o Inter tem jogadores a nível de Seleção, grandes jogadores criados na base. O Inter tem essa política de trabalhar com a base que se encaixa no que eu gosto de fazer. Vamos conversar bastante e ver aquilo que aconteceu no passado e que não pode se repetir. Aquilo que aconteceu faz parte do passado e temos que fazer um time competitivo para voltar à Seria A o mais rápido possível".

Estilo preferido

"Em relação ao futebol tenho que conhecer o grupo para poder fazer uma análise, gosto de um time de toque de bola, triangulações, uma equipe que procura ser ofensiva, nunca esquecendo a parte defensiva, de compactação. Todos os treinador procuram fazer em suas equipe, mas para chegar até ai tem quer ser trabalhado no dia a dia". 

Montagem do grupo

"Nós não fizemos análise para conversar em releção ao elenco. Tudo foi corrido, houve um contato do Inter na quinta, na sexta chegamos ao acordo. A patir de hoje vamos falar sobre o elenco do próximo ano. O importante é montarmos um elenco forte, um elenco de Série A. Para subir para a Série A e depois buscar os títulos que o Inter precisa". 

Perfil de jogadores para a Série B

"Aconteceu com o Inter, aconteceu com outras equipes. A Série B  não é fácil. O jogador ano que vem vai ter que ter vontade de sofrer a Série B, que é diferente da Série A. Mas vamos montar um time mais competitivo, contamos com o apoio da torcida, que esteve ao lado do Inter e esperamos contar conosco também no próximo ano"

Escolha pelo Inter

"O Inter é diferente, é uma das grandes equipes do futebol brasileiro, que tem uma historia bonita no futebol brasileiro e no futebol internacional e para mim defender as cores do Internacional é uma honra. O contato com as pessoas fizerm que eu aceitasse esse desafio e espero que possa terminar da melhor maneira possível".  

Grupo ideal de jogadores

"Eu acho que é uma mescla de jogadores que já tenham certo protagonismo com jogadores que tenham vontade de crescer. Uma equipe de Série A disputando a Série B. O Inter é um dos grandes da Série A que passa por esse momento. Vamos fazer de tudo para que o Inter possa retornar o mais rápido possível à Série A .

Disputa do Gauchão

"É um teste porque logo na primeira a reunião. É um teste sério. Vai ser importante se conquistarmos o Estadual, seria o segundo hepta da história. Ninguém esperava o Juventude na final. Lógico que seria importante como vai ser importante a pré-temporada. Teremos quase um mês para treinarmos. A intenção é começar com o pé direito o ano de 2017". 

Experiência no Corinthians

Primeiro, acho que o mais importante é a torcida caminhar ao lado do clube. Tínhamos uma realidade diferente no Corinthians. A maioria dos jogadores, os contratos encerraram. Não tínhamos um grupo qualificado. Em cima das próximas reuniões é que vamos traçar a meta. É importante fazermos uma ótima Série B para fazer uma base para 2018".