Federer passa sufoco, vira de forma espetacular após 4 horas e vai às oitavas na Austrália

John Millman, algoz do suíço no US Open de 2018, volta a causar dificuldades, abre 8-4 no tie-break decisivo.

- Foto: Cameron Spencer / Getty Images

Roger Federer está nas oitavas de final no Aberto da Austrália. Mas, foi com doses de drama e muita superação por parte do tenista de 38 anos. O suíço reencontrou o tenista local John Millman (47º do ranking), que o eliminou no US Open de 2018, e voltou a ter muitas dificuldades, mas acabou conseguindo uma vitória no sufoco, com direito a virada no tie-break da última parcial para fazer 3 sets a 2, parciais de 4/6, 7/6 (2), 6/4, 4/6 e 7/6 (10-8), em longas 4h03 de confronto.

A vitória foi a de número 100 na carreira de Roger Federer atuando no Aberto da Austrália, onde já conquistou seis títulos. Na próxima fase, o suíço terá mais um duro desafio pela frente, quando encara o húngaro Marton Fucsovics (67º do ranking), que chega embalado após eliminar os jovens Denis Shapovalov, Yannick Sinner e Tommy Paul.

Uma das cenas que mais chamou a atenção de quem acompanhava a transmissão da partida foi da esposa de Federer na arquibancada. Mirka sofreu, por muitos momentos foi vista com as mãos no rosto, vibrou e, no fim, respirou aliviada. Vale lembrar que a suíça é ex-tenista e está sempre acompanhando a carreira do marido.

Em Melbourne, Federer tenta encerrar o jejum e voltar a vencer um título de Grand Slam, algo que passou perto em 2019, quando foi vice em Wimbledon. Uma conquista em torneios deste nível também ajudaria a manter o suíço como o maior recordista, com 20 títulos atualmente, à frente de Rafael Nadal (19) e Novak Djokovic (16).

O jogo

Federer começou com um aproveitamento não tão bom de saque e viu Millman incomodar bastante nas devoluções. O australiano conseguiu uma quebra de serviço logo no quarto game e, na sequência, abriu distância, com 4/1. O suíço se recuperou quando Millman sacava para o set, diminuindo para 5/4 após fazer dois games espetaculares. Mas, voltou a ter um péssimo serviço e perdeu a parcial por 6/4.

Os dois sets seguintes tiveram Roger Federer mais consistente com seus saques. Se não marcou tantos aces, o suíço ao menos colocou mais bolas de primeiro saque e cedeu poucos pontos de devolução a Millman. Mesmo no tie-break do segundo set, o suíço não passou sustos e levou com tranquilidade em 7-2. Na sequência, com uma quebra de vantagem, controlou e passou à frente, fazendo 6/4.

O ritmo se desenhava para uma virada sem maiores sustos para Federer. Porém, Millman não se abateu e voltou bem para a disputa do quarto set. Com apenas oito erros não forçados na parcial, o australiano dessa vez foi quem soube aproveitar sua única chance de quebra para tomar a frente em 5/3 e, logo depois, fechou a parcial, empatando o jogo com bons saques.

O drama ficou mesmo para o quinto e decisivo set. Millman manteve a confiança em alta e conseguiu uma quebra logo no terceiro game. Federer, no entanto, devolveu o break após três oportunidades, empatando em 2/2 e se mantendo vivo na disputa. O suíço ainda se salvou de duas chances de quebra para o australiano no sétimo game e o empate se manteve até o 6/6, quando a disputa foi para o tie-break decisivo.

John Millman seguiu imprimindo um ritmo forte e de muita confiança. Com passadas espetaculares e aproveitando um erro de Federer, o australiano abriu dois mini breaks e teve 8-4, com uma mão na classificação. A partir daí, no entanto, o suíço cresceu e o rival tremeu. Foram seis pontos em seguida de Federer, revertendo a situação, jogando em alto nível e contando com erros de Millman para selar a vitória com um incrível 10-8.