Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 29 de Setembro de 2020

Coronavírus

Exames para covid-19 duplicam e MS é o que mais testa no País, diz secretário

No mês de julho, testagem passou de 3,2 mil para 7,5 mil por semana.

Campo Grande News

19 de Julho de 2020 - 18:20

Exames para covid-19 duplicam e MS é o que mais testa no País, diz secretário

A testagem de mostras para verificar as contaminações pelo novo coronavírus saltaram de 3,2 mil para 7,5 mil por semana, durante o mês de junho, em Mato Grosso do Sul. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, o Estado esta entre os que mais testa no País.

“Conseguimos ampliar e muito a testagem do Mato Grosso do Sul. A partir de junho, quando a doença teve um crescimento maior, nós duplicamos a média semanal de exames que tínhamos no mês de junho. Então, de 3,2 mil exames, já atingimos 7,5 mil exames por semana, que é um recorde que nos faz hoje um dos estados que mais testa no País, inclusive sendo elogiado pelas grandes consultorias na área de saúde no País”, ressaltou o secretário.

Conforme o boletim divulgado neste domingo, foram 84,8 mil casos notificados no Estado, sendo que 2,3 mil mostras ainda estão em análise no Lacen (Laboratório Central). De acordo com a secretaria adjunta de Saúde, Cristhine Maymone, 999 mostras foram liberadas neste sábado, e outras 1,6 mil na sexta-feira.

Ainda precisam ser encerrados 5,7 mil casos e 60,3 mil foram descartados. Os casos confirmados chegaram a 16.403, destes 53,8% foram dos testes RT-PCR, ou seja, testes de biologia molecular, que identificam a doença no seu início e são considerados “padrão ouro”, como classificou a adjunta.

Entre os dias 1º de junho e 18 de julho, foram realizados 29.533. Em 7.027 o novo coronavírus foi detectado, em 22.441 ele não foi identificado e em 65 o resultado foi inconclusivo. Pessoas entre 40 e 59 foram as que mais testaram. Foram 8.978, nessa faixa de idade, que procuram fazer o exame.

De ontem para hoje, foram registrados 397 novos casos na Capital, um incremento de 2,5%, sendo 224 em Campo Grande. As mortes no Estado já chegam a 222.