Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 28 de Setembro de 2020

Antônio João

Vereador, dono de conveniência, se declara inimigo das ações de combate ao covid-19 em Antônio João

Vereador fez um pronunciamento inflamado em que se declarou inimigo declarado das ações implementadas pela Prefeitura

Flávio Paes/Região News

23 de Julho de 2020 - 14:53

Vereador, dono de conveniência, se declara inimigo das ações de combate ao covid-19 em Antônio João

Embora o município de Antônio João já tenha registrado 26 casos de Covid-19, uma paciente está internada no hospital de Ponta Porã, o vereador Agnaldo Marcelo Pé (DEM), declarou guerra as medidas de prevenção e controle do novo coronavírus que a Prefeitura vem adotando, com restrições as atividades econômicas como forma de evitar aglomerações e tentar reduzir a velocidade da transmissão do vírus.

Na sessão ordinária da Câmara da última terça-feira, o vereador fez um pronunciamento inflamado em que se declarou inimigo declarado das ações implementadas pela Prefeitura porque estariam prejudicando seu negócio, uma rede de conveniência que tem na venda de bebida alcoólica o carro-chefe dos seus lucros.

O vídeo com o pronunciamento do vereador foi postado nas redes sociais logo após a sessão ordinária do legislativo. Marcelo ignora o avanço da covid-19 nos municípios de Mato Grosso do Sul, não leva em consideração nem mesmo as orientações do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, uma das maiores lideranças do seu partido, o DEM. Indiferente aos riscos que a pandemia traz a vida de toda a população, mostra preocupação com o vencimento dos boletos bancários da sua empresa ao  condenar o decreto que restringiu o funcionamento do comércio na cidade.

Na última sexta-feira a prefeita manteve reunião aberta com os comerciantes da cidade no auditório do Paço Municipal, mas o vereador não compareceu. Ele agendou reunião em separado com a prefeita Márcia Marques para falar sobre o assunto, mas também não apareceu.

Ao ser consultada a respeito da postagem do vereador, a secretária municipal de Saúde, Patrícia Magalhães, avaliou como “lamentável” a postura do parlamentar. “É impressionante como alguém possa querer tirar vantagem política de uma situação como essa. Nós estamos lidando com vidas. Se trata de uma tremenda irresponsabilidade, ainda mais quando se incentiva a população a utilizar medicamentos como se ele fosse médico e estivesse preparado para isso”, disse.

A secretária lembra que Mato Grosso do Sul está se aproximando de 20 mil casos positivos de covid-19 e que o aumento pode provocar um colapso no setor de saúde, já que não existe estrutura no Estado para atender todo mundo ao mesmo tempo. “Temos visto em outras regiões do país, como no vizinho Mato Grosso, pessoas morrendo por falta de leitos. E isso só aconteceu porque os governantes não tomaram as medidas certas nas horas certas. Não adianta colocar cadeado depois que a porta foi arrombada”, disse.

Patrícia Magalhães disse que o vereador Marcelo Pé ao invés de induzir a população a tomar atitudes erradas, deveria sim incentivar o cumprimento das medidas porque se trata de proteção à vida das pessoas. “São 257 óbitos no Estado e estamos próximos de 20 mil casos confirmados, quase 400 pessoas internadas, sendo 50% ocupando os leitos de UTI, cuja capacidade está praticamente esgotada. Somente em Campo Grande foram registradas 79 mortes; em Dourados 51 pessoas morreram, sendo quatro profissionais médicos. Em Guia Lopes, cidade do porte de Antônio João, já são 262 casos positivos e três mortes; em Ponta Porã são 200 casos confirmados e sete óbitos. Será que o vereador não tem informações a respeito disso?”, questionou a secretária.

DESMENTIDO

Ainda com relação ao discurso do vereador Marcelo Pé, a Prefeitura Municipal informou que o parlamentar faz sensacionalismo e usa a mentira para induzir a população a fazer juízo errado da atual gestão. Com relação aos valores do aluguel de tendas, que segundo o vereador custaria R$ 1.500,00 por dia, o valor infinitamente menor e correto, segundo o poder executivo, é de R$ 1.166,00 por mês, equivalente ao preço diário de R$ 38,88 cada uma.

Foram instaladas três tendas, uma em cada saída do município, sendo que o valor do aluguel está bem abaixo de mercado e se trata de equipamento de grande utilidade para abrigar a equipe da saúde que faz a higienização de veículos e entrevistas com as pessoas que chegam e saem do município.

O Executivo informou que o vereador mente para a população e demonstra total desconhecimento de causa, já que os gastos da campanha contra a covid-19 são públicos e estão disponíveis para quem quiser conferir na internet em uma aba exclusiva no portal da transparência do município.