Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 4 de Março de 2024

Policial

Ação envolve 17 delegacias, prende 19 e apreende Camaro amarelo e 2 BMW

De acordo com um dos delegados envolvidos com a operação, Cleverson Alves dos Santos, as ações são fruto de oito meses de investigação.

Campo Grande News

27 de Outubro de 2017 - 14:00

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta sexta-feira (27) a “Operação Ostentação”, com o foco de combater o tráfico interestadual e doméstico em Campo Grande. Até esta manhã 19 pessoas apontadas como líderes de organizações criminosas foram presas. Além das prisões, ainda foram apreendidas armas, drogas e carros de luxo como um Camaro amarelo e duas BMW.

De acordo com um dos delegados envolvidos com a operação, Cleverson Alves dos Santos, as ações são fruto de oito meses de investigação. No total são 20 mandados de prisão e dezenas de mandados de busca e apreensão, que são cumpridos em toda a Capital.

“Os presos são os “cabeças” do tráfico de drogas na cidade. Eles não colocavam as mãos nos entorpecentes, apenas ostentavam carros de luxo, dinheiro e joias”, diz o delegado, justificando o título da operação.

As ações começaram às 4h e envolvem os policiais de todas as delegacias especializadas de Campo Grande.

Além de residências, também foram feitas batidas em casas noturnas. Os resultados, como quantidade de drogas, armas e veículos apreendidos ainda não foram divulgados, pois conforme o delegado, os mandados ainda são cumpridos no decorrer do dia.

Preso – Ao site, um dos presos na operação, que pediu para não ter seu nome revelado, disse que estava em seu apartamento quando três viaturas da polícia foram em sua captura.

“A polícia fez uma varredura na internet e viu que posto fotos com carros de luxo, dinheiro e joias. Como já tenho passagem por tráfico acabei preso”, alega o rapaz.

No entanto, ele já está de volta às ruas depois de pagar fiança. “Meus bens continuam apreendidos, pois conforme a polícia ainda serão feitas averiguações. Mas, comigo não foi apreendido nada ilegal, tudo que tenho é financiado”, diz.

Ainda conforme o rapaz, todos os outros presos também ostentavam na internet e estão de alguma forma interligados.