Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 24 de Junho de 2024

Policial

Acusados de matar e roubar ex-PM em Nova Andradina, vão a Júri

O corpo da vítima foi encontrado no início da manhã do dia 8, por trabalhadores rurais e professoras que passavam pela MS 473 e acionaram a Polícia Militar

Jornal da Nova

12 de Novembro de 2014 - 16:21

Será realizado na próxima quarta-feira (19), às 13h, na Sala do Tribunal do Júri de Nova Andradina, o julgamento de Edmar Barreto Luiz de 24 anos, Diego de Oliveira Barreto de 24 anos e Lourival Alves dos Santos de 23 anos, vulgo Lourinho, acusados de matar para roubar o ex-policial militar Nelson Gonçalves Dias de 48 anos, no início da madrugada do dia 8 de fevereiro do ano passado.

Consta na denúncia do MPE (Ministério Público Estadual) que o Jornal da Nova teve acesso, que naquela madrugada, entre 0h e 2h30, em frente à conveniência do Dedé Fest, na rua Redentor esquina com a avenida Eurico Soares de Andrade, Diego, Edmar e Lourival, mediante violência e com um facão, roubaram um tablet, dois celulares, um pistola .45, um aparelho de som automotivo e R$ 400 de Nelson, após a consumação, a vítima veio a óbito.

De acordo com o que ficou provado nos autos, na noite anterior ao crime, a vítima foi até a referida conveniência e após ingerir razoável quantidade de bebida alcoólica, dormiu no banco do motorista de seu veículo, um Fiat/Tempra, de cor vermelha, com placas HQM-0655, que estava estacionado na rua Redentor.

Aproveitando-se da situação de vulnerabilidade da vítima e já cientes de que a vítima possuía uma arma de fogo e valores em dinheiro, alvo de sua cobiça, os denunciados de posse de um facão, entraram no veículo, dominaram a vítima e desferiram vários golpes contra seu pescoço.

Segundo consta no laudo de exame de corpo de delito e esquema de lesões, além dos violentos golpes que a vítima levou na região cervical (nuca), Nelson ainda foi degolado e possuía cortes na palma da mão esquerda, indicando tentativa de defesa.

Ainda segundo a denúncia do MPE, após a morte de Nelson, os denunciados tomaram a direção do carro e tomaram rumo ao córrego do Baile, na MS 473 na saída para o bairro Laranjal e desovaram o corpo às margens do córrego. Logo depois voltaram para o perímetro urbano e abandonaram o veículo na rua André Loyer, na Vila Operária.

O corpo da vítima foi encontrado no início da manhã do dia 8, por trabalhadores rurais e professoras que passavam pela MS 473 e acionaram a Polícia Militar. Horas mais tarde o veículo foi encontrado na André Loyer repleto de vestígios de sangue no seu interior.

Os acusados somente foram localizados e presos após expedição de mandados de prisão preventiva, que foram requeridos pela autoridade policial e deferidos pelo Poder Judiciário local. Ouvidos, contudo, o trio relatou uma versão fantasiosa de que apenas teriam se defendido de agressão inicial perpetrada pela vítima.

Ocorre que, em diligências complementares, após a finalização do Inquérito Policial pela autoridade policial, foram ouvidas mais quatro testemunhas pelo MPE, todas comprovando a versão narrada nos autos, tanto em relação à existência e propriedade dos bens subtraídos pelos denunciados, quanto em relação à ausência de briga entre a vítima e os acusados.

O Júri será presidido pelo Dr. José Henrique Kaster Franco, MM. Juiz de Direito da Vara Criminal e Presidente do Egrégio Tribunal Popular do Júri da Comarca de Nova Andradina, na acusação esta a 3ª Promotoria de Justiça local, e na defesa de Edmar Barreto Luiz e Diego de Oliveira Barreto esta a Defensoria Pública, já na defesa de Lourival Alves dos Santos esta o advogado criminalista Dr. Jezualdo Galeski. O Júri será na Sala do Tribunal no edifício do Fórum na avenida Alcides Menezes de Faria, 1.137. O trio está preso.