Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 1 de Dezembro de 2020

Policial

Após matar mulher a tiros, homem liga para cunhado e diz “o próximo é você

A ex-esposa de Júlio César, Dayane Silvestre Uliana, 26, foi morta com três tiros na cabeça por volta de 18h30 de ontem (4).

Campo Grande News

05 de Janeiro de 2014 - 09:55


Depois de atirar três vezes  e matar a ex-mulher no cruzamento das avenidas Manoel da Costa Lima e Bandeiras, em Campo Grande, Júlio César Martins Ferreira, 38 anos, ligou para o ex-cunhado, irmão da vítima, e ameaçou: “cuidado, o próximo é você”.

A ex-esposa de Júlio César, Dayane Silvestre Uliana, 26, foi morta com três tiros na cabeça por volta de 18h30 de ontem (4). Ela dirigia um Chevrolet Corsa quando foi surpreendida pelo ex-marido. A vítima foi socorrida e encaminhada para o Posto de Saúde do Bairro Guanandi, mas não resistiu aos ferimentos. Ela deixa um filho de um ano e dois meses.

Segundo o delegado Carlos Elano, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga, que atendeu o caso, a polícia identificou o autor dos disparos porque uma testemunha que presenciou a execução anotou a placa da moto de Júlio.

Após verificação, os policiais descobriram que o documento do veículo estava em nome da vítima e que o autor era ex-marido dela.

Os familiares de Dayane contaram à polícia que Júlio César tem um histórico de ameaças e violência doméstica contra a mulher. Entretanto, ela nunca procurou a Polícia Civil para registrar uma ocorrência.

O único boletim de ocorrências registrado contra Júlio César foi feito pelo pai de Dayane em novembro de 2012. Na época, o autor da execução foi ao hospital em que a vítima tinha dado a luz ao filho do casal para forçá-la a reatar o relacionamento.

Ameaça – Ainda de acordo com o delegado, após atirar contra Dayane, Júlio César entrou com contato com o irmão da vítima perguntando como ela estava. Após questionar o estado de saúde dela, o ex-marido avisou: “cuidado, o próximo é você”.

No local do crime a polícia recolheu projéteis que foram encaminhados para a perícia. Por enquanto, os policiais trabalham com a hipótese de três disparos de arma de fogo. Mas só a perícia irá confirmar quantos tiros foram dados.

Durante toda a noite, policiais do SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Depac Piratininga fizeram diligências para encontrar Júlio César. Ele continua foragido e as buscas continuam neste domingo.