Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 27 de Novembro de 2020

Policial

Bandidos tentam assaltar uma revendedora de gás na Capital e se dão mal

Bandido foi ferido por um policial que estava de folga e é irmão do proprietário

Conjuntura On-line

05 de Agosto de 2014 - 08:30

Uma revendedora de gás do bairro Jardim Monumento, em Campo Grande, foi invadida ontem (4) por dois assaltantes. Um deles, porém, foi ferido por um policial que estava de folga e é irmão do proprietário. O assalto ocorreu por volta das 18 horas.

De acordo com informações do registro policial, no mesmo terreno do estabelecimento vive a família do irmão do agente, que inclui além dele, a mulher e um menino de quatro anos. 

Eles disseram à polícia que eles estavam na revendedora na hora quando uma pessoa entrou pelo portão, que eles pensaram ser um parente. No entanto, era um dos ladrões, que anunciou o assalto. Após o assaltante Diego Augusto da Silva, de 22 anos, render seu irmão, o policial militar Bruno Ubirajara Paiva Oliveira, de 31, sacou a arma, mas o ladrão conseguiu desarmá-lo.  

Em seguida, o segundo assaltante, identificado por Luiz Felipe Gomes dos Santos, de 26 anos, entrou no local, também armado, mas acabou sendo agredido pelo PM. Bruno conseguiu desarmar o ladrão e atirou contra um deles. Ferido no pescoço e nas nádegas, Luiz Felipe fugiu do estabelecimento na companhia de Diego em direção a um carro que dava cobertura pra eles. No veículo estava Douglas Borges Cardoso, de 28 anos.

Pouco tempos depois, os três foram em busca de socorro no posto de saúde do bairro Aero Rancho. Eles deixaram Luiz no local e fugiram.  Equipes da PM fizeram buscas pelo Vectra usado pelo trio e encontraram o carro na Vila Nhá-Nhá. Os dois foram presos em flagrante. Uma moto que estava no local e o carro foram apreendidos

Após passar por atendimento médico, Luiz também foi preso em flagrante. Os três irão responder pelos crimes de roubo e por tentativa de homicídio contra o policial militar. Eles não conseguiram levar nada do estabelecimento. 

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga. O caso será apurado pela Polícia Civil.