Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Policial

Comerciante cai em golpe de falso servidor da Receita e perde R$ 5.800

De acordo com o boletim de ocorrência, o estelionatário procurou a vítima na semana passada, por telefone, para oferecer 500 lotes de roupas

Campo Grande News

20 de Novembro de 2014 - 15:59

Um comerciante de 60 anos que possui estabelecimento em Ribas do Rio Pardo, afirma ter sido vítima de um golpe aplicado por um suposto servidor da Receita Federal de Campo Grande, que lhe procurou para oferecer um lote de roupas no valor de R$ 5.800. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, como estelionato.

De acordo com o boletim de ocorrência, o estelionatário procurou a vítima na semana passada, por telefone, para oferecer 500 lotes de roupas. O comerciante então perguntou se havia a possibilidade de comprar em menor número. Durante os telefonemas, uma terceira pessoa participava da conversa, se passando por chefe da Receita.

Sem desconfiar de nada, o comerciante agendou um encontro que aconteceu ontem (19), em um posto de combustíveis localizado na Chácara Cachoeira, na Capital. De lá, eles foram fazer o pagamento de uma guia da Agenfa (Agência Fazendária Estadual). No local, o comerciante esperou no carro enquanto o outro homem entrou na Agência.

Em seguida, ele retornou e disse que para a vítima ir até uma clínica localizada na Avenida Mato Grosso, para pegar a mercadoria. Já na clínica, o golpista entrou e retornou alguns minutos depois, falando que os produtos só seriam liberados mediante pagamento à vista de R$ 5.800, que foi prontamente feito. O autor voltou para dentro e não retornou mais. O comerciante disse que retornou as ligações, mas foi informado que pelo "chefe" do servidor que o valor estava sendo contabilizado. Logo em seguida, não conseguiu mais falar com nenhum deles.

O autor em momento algum mencionou nomes. Ele portava um crachá com a inscrição da Receita Federal. É moreno, baixa estatura, cabelos pretos e crespos.

O site entrou em contato com a Receita Federal de Campo Grande. O órgão disse que já houve casos nos quais criminosos se passam por servidores da Receita, no entanto, até o fechamento desta reportagem, a instituição não havia se pronunciado oficialmente sobre o caso.