Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 27 de Fevereiro de 2024

Policial

Criança de 6 anos é encontrada morta dentro de mala

FOCO REGIONAL

26 de Março de 2013 - 08:11

Foi encontrado morto, na noite desta segunda-feira (25), dentro de uma mala, na casa da manicure Suzana do Carmo de Oliveira Figueiredo, de 22 anos, o corpo do menino João Felipe Eiras Santana Bichara, de 6 anos, que estava desaparecido desde a tarde, quando foi sequestrado na porta da escola onde estudava, o Instituto de Educação Nossa Senhora de Medianeira, no Centro de Barra do Pira, no Rio de Janeiroí. A criança foi morta por asfixia.

A autora do crime foi presa por policiais militares. Suzana era manicure da mãe da vítima, Aline Bichara, moradora do Centro, e teria admitido, na delegacia de polícia da cidade, ter cometido o crime por motivos passionais, mas, segundo a polícia, ainda não estão claras as razões da barbaridade. A suspeita é de que o crime tenha sido passional, por vingança, mas a polícia não confirma.

A Polícia Militar foi avisada do desaparecimento de João Felipe às 17h30min e ouviu uma testemunha – um aluno da mesma escola – de que o garoto tinha sido buscado na escola por um táxi, um Siena branco. Agentes do Serviço Reservado do 10º BPM (Batalhão de Polícia Militar) e da Polícia Federal localizaram o Siena quando Suzana se encontrava dentro do veículo.

A mulher foi conduzida até a delegacia, onde revelou que levou o menino, inicialmente, a um hotel do Centro, onde foi assassinado. Ela colocou o corpo na mala e então seguiu com ele para dentro de sua casa, na Rua Cristiano Otoni, região central da cidade, a bordo de um outro táxi. A manicure foi indiciada pelo delegado José Mário Salomão de Omena por homicídio e ocultação de cadáver. Os dois taxistas que transportaram Suzana foram ouvidos, por enquanto, como testemunhas.

João Felipe era de família tradicional em Barra do Piraí. O pai dele, Heraldo Bechara, esteve na delegacia na noite passada, mas, assim como a mulher, Aline, ainda não foi ouvido. O casal, que é dono de uma imobiliária em Barra do Piraí, está profundamente abalado. João Felipe era o único filho do casal.

Colégio suspende aulas pelo resto da semana
A tragédia do menino João Felipe levou a direção do Instituto de Educação Franciscana Nossa Senhora Medianeira, onde ele estudava, a suspender as aulas pelo restante da semana. Funcionários que chegaram para trabalhar a partir das 7 horas estão muito abalados, muitos deles, principalmente professoras, chorando.

Segundo a direção da escola, para levar o menino, Suzana telefonou para a escola dizendo ser madrinha do menino e que precisava levá-lo porque João Felipe teria uma consulta médica.