Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Policial

Empresário morto em briga no trânsito estava acompanhado de tio e primo

Segundo populares que testemunharam a briga, Adriano dirigia uma Hilux e teria ‘fechado’ a Pajero do policial que teria ficado irritado

Flávio Paes/Região News

31 de Dezembro de 2016 - 09:05

O empresário Adriano Correia, 33 anos, assassinado por um policial rodoviário aposentado após briga trânsito na Avenida Ernesto Geisel, estava acompanhado de um tio e de um primo que estaria comemorando aniversário. Ele foi atingido por três disparos. Segundo uma ex-funcionária, Adriano era proprietário de um restaurante japonês, localizado na Rua Marechal Rondon, no Centro da cidade.

De acordo com testemunhas, os três voltavam da comemoração de aniversário do primo, um adolescente quando o crime ocorreu. Adriano foi atingido no pescoço, tórax e braço.

Segundo populares que testemunharam a briga, Adriano dirigia uma Hilux e teria ‘fechado’ a Pajero do policial que teria ficado irritado. “Vamos chamar a Polícia de Trânsito para resolver isso”, teria dito o empresário, segundo uma testemunha.

Ele tentou ir embora e o policial teria atirado várias vezes, ainda de dentro do carro, o atingindo no pescoço e o adolescente nas pernas. Após ser atingido pelos tiros, Adriano perdeu o controle da camionete, que atingiu um poste. Com o impacto, o poste chegou a cair em cima do veículo.

Segundo populares, o tio do motorista chegou a ser arremessado do veículo após o acidente e sofreu ferimentos no braço. Ele foi levado com o filho para a Santa Casa de Campo Grande. Equipes do Corpo de Bombeiros, PRF (Polícia Rodoviária Federal), Polícia Militar, Polícia Militar de Trânsito e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Polícia Civil, Perícia e também funerária estiveram no local.

O policial foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro e deve responder por homicídio doloso. (Com informações Midiamax).

Leia também: Policial rodoviário mata empresário após discussão no trânsito por causa de acidente