Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 3 de Agosto de 2021

Policial

Envolvido em morte de advogado depõe e diz que estava drogado

O acusado alegou, que não sabia que os amigos iriam assaltar o advogado e o policial e ficou próximo ao carro

Dourados Agora

27 de Outubro de 2014 - 14:21

Isaac Daniel Gonçalves Baptista de 22 anos, residente no Jardim Canaã I em Dourados, foi autuado em flagrante por roubo. Ele participou do assalto ao advogado Márcio Alexandre dos Santos de 32 anos, que acabou matando o profissional com oito tiros, sendo um na nuca, um em cada braço direito e esquerdo e cinco nas costas.

Em depoimento, Isaac afirmou que estava drogado e que não estava armado. Segundo ele, na madrugada de sexta-feira para sábado (25), ele estava em companhia de três amigos em um veículo Gol, quando passaram pelo advogado e o amigo policial federal e perceberam que eles estavam com o veículo parado e urinando. O fato aconteceu por volta das 4h da manhã.

O acusado alegou ainda, que não sabia que os amigos iriam assaltar o advogado e o policial e ficou próximo ao carro. Quando percebeu a troca de tiros, já estava baleado, viu o advogado no chão e achou ainda, que poderia ser um dos seus amigos.

Ele foi levado até o Hospital do Coração pelos comparsas e depois foi solicitado apoio do Samu e acabou sendo encaminhado ao Hospital da Vida. Isaac passou por uma cirurgia e foi retirado projétil de sua barriga para ser encaminhado ao exame de balística.

O CASO

Um policial federal que ainda não teve o nome divulgado, amigo do advogado criminalista Márcio Alexandre dos Santos de 32 anos, que foi assassinado na madrugada deste sábado, apresentou-se ontem com um advogado na Delegacia de Polícia Civil de Dourados.

Em seu depoimento ao Delegado Lupércio Degerone, que está investigando o caso, ele afirmou que estava com a vítima no momento do assalto e que Márcio acabou ficando no meio de um fogo cruzado.

A polícia já solicitou o exame de balística para descobrir de que arma saiu o tiro que matou o advogado, se foi dos assaltantes ou se foi do policial federal. O amigo de Márcio disse ainda, que reagiu ao assalto, após Márcio parar a caminhonete para urinar e ser surpreendido pelos assaltantes.

O fato aconteceu no cruzamento das ruas Albino Torraca com Ciro Melo, por volta das 4h da madrugada. A vítima foi atingida por oito tiros por uma pistola 9mm, sendo um na nuca, nos braços direito e esquerdo e cinco nas costas.

A caminhonete do advogado, uma Hilux SW4 de cor preta e placas EYQ-0411, foi levada pelos assaltantes após a troca de tiros e ainda não foi encontrada.