Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Outubro de 2020

Policial

"Estavam se reconciliando", diz mãe de PM que matou ex-mulher em MS

Mãe do policial diz que eles estavam separados há quatro meses. Filha do casal, criança de 3 anos presenciou crime, segundo a polícia.

G1 MS

07 de Agosto de 2014 - 07:16

O policial militar que se matou com um tiro depois de matar a ex-mulher ontem quarta-feira (6), no bairro Nova Jerusalém, em Campo Grande, estava tentando reatar o relacionamento com a vítima, segundo a mãe do policial, Noemir de Arruda.

Conforme Noemir, Luciano Gomes Chamorro, de 28 anos, foi casado com Mayara Cristina da Silva, de 22 anos por seis anos. O casal se separou há quatro meses e conversava nos últimos dias sobre uma possível reconciliação.

"Estavam se reconciliando. Ontem ela [ex-mulher] foi lá e deixou a Karine [filha do casal] com ele na minha casa e ainda disse para ele: Luciano se for para o bem de todos e felicidade sua e da Mayara, por mim, a vida é sua, meu filho", desabafou.

Ainda segundo Noemir, no horário de almoço nesta quarta-feira, Luciano pegou o carro dela e foi até a casa da ex-mulher, onde começaram a discutir.

Caso
O crime aconteceu por volta das 12h (de MS), na casa onde a mulher morava, e foi presenciado pela filha do casal, de 3 anos, e parentes da vítima. O Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer as vítimas, mas os dois morreram antes do atendimento. O policial trabalhava em Dois Irmãos do Buriti, a 98 quilômetros de Campo Grande.

O delegado titular da 4ª Delegacia de Polícia, Tiago Macedo, disse que vai investigar o que motivou os crimes. "Havia uma disputa da guarda da filha do casal e também questões relativas à pensão alimentícia. Então, tudo vai ser pesquisado para gente saber o que de fato motivou toda essa circunstância", explicou.