Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Policial

Família perde esperança de encontrar douradense quatro meses após naufrágio

Recompensa em dinheiro foi oferecida através de cartazes espalhados nas cidades e aldeias de pescadores, mas não surgiu nenhuma pista.

Campo Grande News

12 de Janeiro de 2017 - 15:27

No próximo domingo (15) faz quatro meses que o douradense Lucas Soares Bondezan, 24, desapareceu na Malásia, país no sudeste asiático, após o iate em que viajava com outras três pessoas explodir horas depois de zarpar do porto de Langkawi para Singapura.

Os outros três ocupantes - o sérvio Novak Novakovic, 28, o croata Rudolf Kolic, 61, e o checo Jaroslav Horejsek, 37 – foram resgatados por pescadores, mas Lucas nunca foi encontrado.

Nascido no distrito de Indápolis, a 20 km de Dourados, Lucas morava há pelo menos seis anos na Ásia, para onde foi para trabalhar com o cunhado, um cidadão francês.

As buscas foram suspensas pela Marinha da Malásia alguns dias após o acidente, mas familiares de Lucas continuaram procurando pelo rapaz ao longo da costa malaia e ilhas próximas e até um helicóptero foi usado.

Recompensa em dinheiro foi oferecida através de cartazes espalhados nas cidades e aldeias de pescadores, mas não surgiu nenhuma pista.

Quatro meses após o acidente, a família afirma que nada foi encontrado e não há informação se Lucas conseguiu chegar a uma ilha ou se desapareceu no mar.

Uma semana após o desaparecimento, o pai de Lucas, José Lúcio Bondezan, produtor rural no distrito de Indápolis, viajou para a Malásia junto com a mãe do rapaz para acompanhar as buscas.

“Ele disse que só volta de lá depois de encontrar o filho”, afirmou na época ao Campo Grande News um comerciante de Indápolis, amigo de infância de Lucas e da irmã dele, que mora na Malásia.

Foi para trabalhar com o marido da irmã na Ásia que Lucas deixou Dourados. O cunhado é dono de uma empresa de barcos que transporta turistas naquela região.

Segundo os jornais locais, o iate de luxo saiu de Langkawi, cidade de 95 mil habitantes localizada à uma hora de avião da capital Kuala Lumpur, mas apresentou problemas técnicos e naufragou na madrugada.