Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Policial

Frentista de Posto Fiscal é preso sob acusação de contrabando em MS

Rádio Caçula

19 de Junho de 2012 - 14:12

A Polícia Militar Rodoviária Estadual (PMRE) de Três Lagoas ao fazer rondas às 10h20min desta segunda-feira próximo ao município de Brasilândia-MS, notou na altura do Km 27 que o motorista de um veículo Toyota Corolla que segui no sentido Bataguassu/Três Lagoas, ao presenciar a presença da guarnição fez um retorno brusco com o veículo retornando no sentido Bataguassu em alta velocidade.

No Km 45 da rodovia MS-395, o motorista A.C. informou à guarnição que trabalha como frentista no Posto Fiscal de João André em Brasilândia e que estaria monitorando a rodovia fazendo o trabalho de “Batedor”, para que dois motoristas de caminhões Baú com mercadorias oriundas do Paraguay conseguissem chegar até Brasilândia, pois a passagem dos veículos já estava acertada com um agente fiscal daquela unidade.

TENTATIVA DE SUBORNO

Conforme ainda a ocorrência, o frentista tentou subornar os militares com R$ 4.900 reais que seriam pagos com R$ 900 reais de entrada e outros R$ 4 mil que seriam pagos em sua loja de conveniência localizada em Brasilândia. A polícia deu voz de prisão ao homem e em seguida se dirigiram para o município de Brasilândia, para localizar os caminhões carregados com mantas.

CAMINHÕES E MERCADORIAS APREENDIDAS

Os veículos Mercedes Benz e as mercadorias contrabandeadas foram localizados em um posto de combustível em Brasilândia. Os motoristas R.F.B.J e A.C foram detidos após apresentar notas fiscais da mercadoria sem validade, após verificação junto aos funcionários do Posto Fiscal da região. A polícia também apreendeu com um dos motoristas um rádio comunicador não autorizado pela ANATEL.

PROVIDÊNCIAS

O trio foi trazido para a Delegacia de Polícia Federal de Três Lagoas sob acusação de contrabando. Na delegacia, esteve a dona do veículo C. F. P. A que atua como advogada. A mulher informou a polícia não ter participação no contrabando e que não emprestou o carro ao frentista, e sim, estaria na Polícia Federal para defender o acusado (motorista do carro).