Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 7 de Maio de 2021

Policial

Funileiro é preso acusado de estuprar as duas enteadas por dez anos

O caso foi registrado no último dia 29 na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), onde a prisão preventiva foi decretada

Campo Grande News

06 de Janeiro de 2017 - 13:00

Funileiro, de 36 anos, é acusado de ter estuprado as duas enteadas, de 12 e 19 anos, na região do Jardim Centro-Oeste em Campo Grande. Os estupros foram praticados por dez anos, se somado o tempo de abusos sofridos pelas duas jovens.

O acusado já está preso e o inquérito foi concluído nesta sexta-feira (06), pelo delegado Paulo Sérgio Lauretto, titular da DPCA (Delegacia Especial de Proteção à Criança e ao Adolescente).

De acordo com o delegado, a jovem de 19 anos foi abusada dos nove até o dezesseis, e desde então mantinha segredo sobre os abusos, por medo do padrasto.

“No mesmo ano em que ela completou dezesseis anos, ele passou a praticar os abusos com a outra enteada, na época, com nove anos de idade”, explica Lauretto.

A garota foi estuprado por três anos seguidos, até que em dezembro do ano passado a outra irmã, suspeitou do comportamento da adolescente e a questionou. Ela confessou que estava sendo abusada, confessaram a mãe e então elas procuraram a delegacia.

O caso foi registrado no último dia 29 na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), onde a prisão preventiva foi decretada. O funileiro está detido no Instituto Penal de Campo Grande.

Omissão - Durante as investigações para conclusão do inquérito a mãe das meninas foi ouvida, alegou que não sabia dos abusos mas que uma única vez, há cinco anos, notou uma situação “estranha” entre o companheiro e a filha mais velha.

A mulher viu o esposo saindo do quarto da garota e ao entrar, encontrou a filha dormindo com as roupas desalinhadas e os seios de fora. Na ocasião ela apenas pediu para que a menina sempre mantivesse a porta trancada. 

“Ela se omitiu e permitiu que a própria filha mais nova também fosse abusada. Se quando ela percebeu algo estranho ela tivesse tomado alguma providencia, esse cidadão já estaria pagando pelo que ele fez e a outra filha não teria sido estuprada também. Sobre qualquer suspeita desse tipo de crime a família deve procurar imediatamente a polícia”, alerta o delegado.

A adolescente, de 12 anos, terá de ser encaminhada para atendimento psicológico. O funileiro foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável qualificado por ser padrastro das vítimas.