Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 29 de Novembro de 2021

Policial

Irmãs são feitas reféns e uma delas é morta a tiros próximo a boate

Ela iria entrar em uma danceteria quando foi executada por dois homens, que tinham a intenção de roubar o carro da vítima, moradora na cidade de São Paulo.

Dourados Agora

15 de Julho de 2013 - 08:28

Cleide Alves Lima, de 41 anos, foi assassinada na noite de sábado, em Dourados, na frente das irmãs. Ela iria entrar em uma danceteria quando foi executada por dois homens, que tinham a intenção de roubar o carro da vítima, moradora na cidade de São Paulo.

Segundo a polícia, Cleide foi até a boate Jangoo na companhia das irmãs Sandra e Adriana e do filho Cláudio. Na entrada do estabelecimento, Sandra e Adriana perceberam que estavam sem documentos e foram até o carro, estacionado na rua Toshinobu Katayama.

Percebendo que as irmãs demoravam para retornar, Cleide decidiu ir até elas. Ao chegar no local do veículo estacionado, Cleide bateu no vidro do carro, um Sandero, com placas de São Paulo, e percebeu que as irmãs estavam junto a dois homens, armados.

Cleide se afastou, no entanto, um dos bandidos deu um tiro no rosto da vítima. Ela caiu, o homem desceu do carro e desferiu mais tiros, no rosto e nas costas. A dupla que tinha o interesse de levar o veículo abandonou o local, levando apenas celulares e dinheiro das irmãs de Cleide.

Cláudio, filho de Cleide, ao ouvir os disparos, foi até o carro e viu a mãe caída ao chão. Ele a socorreu no próprio carro, mas a vítima morreu em seguida no hospital. O SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil fez a perícia do veículo na manhã deste domingo. O carro tem sinal de um tiro.