Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Policial

Jovem acusada de vender o filho vai responder em liberdade por dois crimes

Após o parto, ela e a criança tiveram alta médica, foram levados pelo casal até a casa dos dois, onde ocorreu a venda do recém nascido.

Campo Grande News

05 de Setembro de 2013 - 14:40

Bruna Martins de Oliveira, 21 anos, acusada de vender o filho vai responder em liberdade por adoção a brasileira e por entrega de criança com fins lucrativos. A informação é do delegado da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Três Lagoas, Paulo Henrique Rosseto de Souza.

Bruna deu a luz a um menino no dia 25 de agosto e vendeu o filho para o casal Alessandra de Oliveira Pires, 25 anos, e Edmar Gonzaga da Silva, 32 anos, moradores de Três Lagoas. Maria Lúcia Pereira Martins, 43 anos, mãe de Bruna, foi quem denunciou o caso.

O delegado disse que após deixar o hospital, Bruna entregou a bebê ao casal, que acompanharam parte da gravidez e o nascimento do bebê, tendo inclusive ficado com a Bruna no hospital, durante o período de internação. Após o parto, ela e a criança tiveram alta médica, foram levados pelo casal até a casa dos dois, onde ocorreu a venda do recém nascido.

De acordo com a Polícia Civil, na casa de Bruna não havia nenhum móvel ou roupa de bebê, demonstrando que realmente a intenção da acusada era vender o filho. Bruna alegou a polícia, que o filho seria registrado por ela e Edmar. O casal confessou o crime.

Todos os três envolvidos no caso prestaram declarações na Polícia Civil e foram liberados para responder pelos crimes de adoção a moda brasileira – pena de 2 a 6 anos de detenção – e entregar a criança em troca de dinheiro – pena de 1 a 4 anos - em liberdade.

Por decisão da Justiça, a criança está com a avó, mãe de Bruna.