Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Policial

Jovem portadora de HIV é indiciada por aborto e fazer programas sem camisinha

Ela provocou o aborto em si mesma, e ainda conforme a Polícia Civil consumiu a droga durante a gestação, o que também poderia ter causado o aborto

Midiamax

05 de Novembro de 2014 - 14:45

Uma mulher de 26 anos foi indiciada pelos crimes de aborto e tentativa de homicídio, em Três Lagoas. Ela seria garota de programa e teria abortado um bebê de quatro meses. Além disso, fazia programas sem utilizar preservativo e não avisava ser portadora do vírus HIV, gerando risco de morte aos clientes.

De acordo com a Polícia Civil, o caso aconteceu em julho de 2013. A mulher estava grávida de mais de quatro meses, era usuária de crack e não fez nenhum tipo de acompanhamento médico da gravidez e nem da doença.

Ela provocou o aborto em si mesma, e ainda conforme a Polícia Civil consumiu a droga durante a gestação, o que também poderia ter causado o aborto.

A polícia ainda apurou que mulher fazia programas sexuais sem comunicar aos clientes que era portadora do vírus HIV. Por esse motivo, ela foi indiciada por tentativa de homicídio. O pai do bebê que foi abortado disse não saber que ela era portadora do vírus.