Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Policial

Justiça pode inteditar Unei no interior e mandar reeducandos para casa

Dourados Agora

02 de Julho de 2012 - 10:00

A Unei em Dourados poderá ser interditada por próximos dias, por falta de infraestrutura para atender aos reeducandos. A exemplo do que ocorreu aos que cumprem pena albergados em casa, após interdição do presídio 'semiaberto', os adolescentes da Unei também poderão ficar em 'domicílio'.

O juiz da Infância e Juventude de Dourados, Zaloar Murat Martins de Souza, deve decidir ainda esta semana sobre a interdição da Unei masculina, que foi pedida pelo Ministério Público Estadual (MPE).

O Coronel Hilton Villasanti, superintendente de assistências socioeducativas(SAS) do Estado, esteve reunido na sexta-feira com representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDA), da Promotoria de Infância e Juventude e Conselho Tutelar.

O Conselho cobrou de Villasanti uma posição mais firme do Estado para melhor as condições da Unei que, desde 2009, sofre com falta de efetivo para garantir a segurança interna da Unei que também enfrenta superlotação e falta de condições para a recondução dos internos ao convívio social.

O baixo efetivo resulta em prejuízo para o programa de reeducação dos adolescentes que deixam de tomar o banho de sol, de praticar esportes e assistir todas as aulas, já que faltam agentes em número suficiente para acompanhar as aulas. Em agosto de 2010, o juiz da Vara da Infância e Juventude de Dourados, Zaloar Murat Martins de Souza, declarou que "ao invés de preparar os internos para serem reinseridos na sociedade, sem estrutura, as Uneis", entre elas a masculina, "servem apenas como depósito de menores, ou uma espécie de cadeia, onde os infratores são retirados das ruas apenas para não oferecer perigo à sociedade, pelo menos por um certo tempo".

Na época, o juiz apontou um dos principais problemas na Unei é afalta do corpo técnico de psicólogos, assistentes sociais e agentes, que dê ao adolescente recém egresso assistência psicossocial para que mude realmente de comportamento, em relação ao cometimento de novas infrações.

A reunião de entidades com Villasanti terminou sem nenhuma proposta para sanar o problema da Unei e dia 27 de julho tem outra. Até lá o juiz Zaloar pode interditar a unidade.