Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 14 de Junho de 2024

Policial

Motorista pode ter dormido ao volante em acidente que matou 3 na BR-262 em Corumbá

As vítimas fatais são todas do sexo masculino, porém apenas duas puderam ser identificadas até o momento

Diário Online

20 de Julho de 2012 - 14:56

O acidente ocorrido na manhã desta sexta-feira (20) na BR-262, distante cerca de 10 quilômetros, da ponte sobre o rio Paraguai, na região de Porto Morrinho, fez cinco vítimas, sendo três fatais.

 

Segundo informações iniciais, a caminhonete teria colidido contra uma vaca na pista, porém, de acordo com a equipe da Polícia Rodoviária Federal, que atendeu a ocorrência, não havia sinal da presença de animal no local. Os policiais, inclusive, não encontraram nenhuma marca de frenagem na via, o que colabora com a hipótese de que o motorista tenha dormindo ao volante.

 

As vítimas fatais são todas do sexo masculino, porém apenas duas puderam ser identificadas até o momento. São elas: Luis Sérgio Malachias Cachone, de 52 anos, e Dirceu José Teodoro Sobrinho.

 

Os corpos estão no Instituto Médico Legal (IML) de Corumbá. Uma mulher, identificada como Rafaela Ferreira da Silva, de 18 anos, e um homem, Luiz Carlos Nunes, de 54 anos, que sobreviveram ao impacto, foram levados para o Pronto-Socorro de Corumbá. Luiz Carlos ficou preso às ferragens e foi retirado por uma das três equipes do 3° Grupamento do Corpo Bombeiros que foram deslocadas para atender a ocorrência.

 

Luiz Carlos seria submetido à cirurgia. Ele sofreu traumatismo craniano, fraturou o punho e o ombro. Já Rafaela, fraturou a clavícula e sofreu diversas escoriações pelo corpo. Ela, que está internada no Hospital de Corumbá, deve ser ouvida pela equipe da Polícia Rodoviária Federal e pela perícia da Polícia Civil a fim de esclarecer alguns fatos que contribuirão na elucidação das causas do acidente.

 

O veículo é uma S-10 cabine dupla, placas EAC 4272, de Ipaussu/São Paulo, que ficou completamente destruído. O pára-brisa traseiro foi parar nos galhos de uma árvore. No impacto, mercadorias, compradas na Bolívia, como camisetas, tênis, calças, acolchoados e brinquedos, ficaram espalhadas no local do acidente. O grupo teria vindo pescar no distrito de Albuquerque, distante cerca de 60 quilômetros de Corumbá, e retornava para o interior de São Paulo. Familiares providenciam o translado dos corpos para Ipaussu.