Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Policial

Polícia apreende 600 quilos de galinha "maquiada" de caipira em MS

Suspeitos usavam corante e vendiam galinha como frango caipira. Galinha era comprada a R$ 1,00 e revendida em pacote de 3 por R$ 12,00

G1

28 de Junho de 2012 - 14:00

Dois homens foram presos na manhã da quinta-feira (28), por comercializar galinhas 'maquiadas' com corante para serem vendidas como frangos caipiras. A Polícia Civil ainda irá pesar a carne, mas pelos menos 600 quilos de carne foram apreendidos no local.

De acordo com o delegado da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo(Decon), Adriano Garcia, a polícia chegou ao local durante investigações sobre o comércio das aves irregulares em Campo Grande.

Segundo o delegado, a operação começou às 5 horas da manhã e envolveu a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e o Ministério da Agricultura. Os suspeitos foram vistos carregando um carro com a carne adulterada e foram presos em flagrante.

O dono da residência onde os frangos foram encontrados foi preso na ação. Ele contou à polícia que comprava as galinhas poedeira que seriam descartadas de uma granja em Terenos a 27 km de Campo Grande, retirava as vísceras e aplicava um corante químico para dar uma coloração característica dos frangos caipiras.

Também foi preso um homem de 41 anos que revenderia os frangos por Campo Grande. Segundo a polícia, ele já havia sido autuado em 2009 pelo mesmo crime.

Segundo a polícia, o dono da casa comprava as galinhas por R$ 1,00 na granja e vendia para o distribuidor por R$ 7,00 e esse revendedor vendia os pacotes com dois ou três frangos por cerca de R$ 12,00.

O fiscal federal agropecuário Luiz Felipe Ungerer disse ao G1 que os frangos são impróprios para o consumo humano. “Esses animais foram abatidos de forma ilegal sem certificação de inspeção. As aves foram manipuladas de forma errada e podem apresentar contaminação. O consumo dessa carne pode fazer as pessoas passarem mal e até mesmo corre risco de morte”

No local foram encontrados sete freezeres com os frangos, uma mesa onde a carne era adulterada, corantes e embalagens. O dono da casa também será autuado por furto de energia, pois a polícia percebeu que o local apresentava baixo consumo, apesar da quantidade de refrigeradores. Funcionários da empresa concessionária de energia foram chamados ao local e confirmaram o furto.

Ainda segundo Garcia, os dois suspeitos foram autuados em flagrante por crimes contra as relações de consumo, ter em depósito, guardar, armazenar produtos em desacordo com as exigências estabelecidas em leis e induzir o consumidor ao erro. Se condenados, podem pegar pena de até cinco anos de detenção.

As aves apreendidas serão encaminhadas para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras) para a alimentação de animais.