Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Policial

Polícia Civil em MS não descarta latrocínio em morte de piloto da TAM

Segundo a assessoria da TAM, Ramos era comandante piloto, trabalhava para a empresa em Minas Gerais e estava de férias

G1 MS

03 de Agosto de 2012 - 16:18

A Polícia Civil em Anastácio, a 134 km de Campo Grande, investiga as circunstâncias da morte do piloto de avião da empresa aérea TAM, Marco Antônio Leão Ramos, 40 anos, encontrado dentro da caminhonete dele, com um tiro no olho esquerdo, na madrugada de quinta-feira (2). Segundo o delegado Mário Donizete Queiroz, nesta sexta-feira (3), a polícia recebeu informação de que um carro foi visto no local no momento do crime.

 

Segundo a assessoria da TAM, Ramos era comandante piloto, trabalhava para a empresa em Minas Gerais e estava de férias. Na quinta-feira, o corpo da vítima foi levado por familiares para sepultamento em Contagem (MG).

 

Segundo o delegado, não está descartada a hipótese de tentativa de latrocínio, apesar de nenhum pertence da vítima ter sido roubado. A perícia da Polícia Civil constatou que o suspeito tentou desengatar a lancha que era transportada por um reboque atrelado ao veículo, mas não conseguiu.

 

Cerca de R$ 500,00 em dinheiro, cartões de crédito e relógio da vítima foram deixados na caminhonete. Uma marca de tiro também foi encontrada no vidro da porta traseira da caminhonete, que a polícia acredita ter sido o mesmo tiro que atingiu o rosto do piloto. O delegado disse ao G1 que ainda não tem testemunhas que presenciaram o crime ou tenham visto algum suspeito.

 

“Nós temos algumas informações de que um carro foi visto no local onde encontramos o piloto, mas não temos a placa do veículo, o que dificulta a localização de suspeitos”, explica Queiroz.


Ainda segundo o delegado, o piloto estava em viagem de férias com os pais e a namorada. O grupo iria pescar no Pantanal. Na noite de quarta-feira (1º), a família foi abastecer a lancha em um posto de combustíveis, antes de seguir para a região de Passo da Lontra, próximo a Miranda.

 

Depois de abastecer, Ramos teria voltado ao hotel onde estava hospedado para buscar o talão de cheques e pagar a conta no posto. Enquanto isso, segundo o delegado, a família teria ficado esperando.

 

O pai dele acionou a polícia, pois estranhou a demora do piloto e por não tê-lo encontrado no hotel. Horas depois, o corpo foi encontrado dentro da caminhonete estacionada, aproximadamente 1 km do posto de combustíveis.

 

O caso foi registrado como homicídio doloso, na 1ª delegacia de Polícia Civil de Anastácio, onde o caso será investigado. O corpo de Marco Antônio Leão Ramos será cremado no Parque Renascer Cemitério e Crematório em Contagem, hoje à tarde.