Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 21 de Abril de 2024

Policial

Polícia Civil mantém sob sigilo local onde Marielly fez aborto

Ele apenas afirma que, como tudo indica que o aborto malsucedido foi o que levou a jovem à morte

Campo Grande News

22 de Junho de 2011 - 18:43

A Polícia Civil mantém sob sigilo o local onde Marielly Barbosa, cujo corpo foi encontrado no último dia 11, em um canavial de Sidrolândia, fez aborto.

O delegado responsável pelas investigações, Fabiano Nagata, não diz se o local é em Campo Grande ou em Sidrolândia.

Ele apenas afirma que, como tudo indica que o aborto malsucedido foi o que levou a jovem à morte, as investigações estão concentradas no autor.

“As investigações agora são para descobrir o autor. Sendo descoberto, poderá ser indiciado por participação em aborto e ocultação de cadáver”, declara o presidente do inquérito.

As investigações da Delegacia Especializada de Homicídios estão sendo feitas com o apoio da Delegacia de Sidrolândia, cuja delegada, Gabriela Stainle, afirmou que as informações sobre este caso só são repassadas à imprensa pelo delegado Fabiano Nagata.

O caso- Marielly desapareceu no dia 21 de maio. Ela disse a uma amiga que iria resolver um problema e desde então nunca mais foi vista. O corpo dela foi encontrado em um canavial de Sidroândia 20 dias depois.

O cadáver não estava com as roupas que a jovem saiu de casa. Estava vestido com uma espécie de vestido que facilita realização de procedimento cirúrgico. O cabelo estava trançado. Não havia feto e foi constatada perda de sangue.

Em fevereiro a estudante universitária fez um exame que confirmou a gestação.