Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 26 de Outubro de 2020

Policial

Polícia conclui que jovem agrediu namorada com cadeira e calcanhar na virada do ano

Por este crime, ele poderá pegar uma pena de 1 a 5 anos de prisão, acrescida de um terço, pela violência doméstica

Midiamax

07 de Fevereiro de 2014 - 13:50

Ao concluir o inquérito policial que contém 503 páginas, a polícia decidiu por indiciar Matheus Zadra Tannous, de 19 anos de idade por lesão corporal grave com agravante de violência doméstica. Ele é acusado de ter agredido violentamente Giovanna Nantes, de 19 anos, na virada do ano, provocando várias fraturas em seu rosto.

Por este crime, ele poderá pegar uma pena de 1 a 5 anos de prisão, acrescida de um terço, pela violência doméstica.

Na manhã desta sexta-feira (7), as delegadas da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) Marilia de Brito Martins, Suzimar Batistela e a titular Rosely Molina, em entrevista coletiva deram detalhes a respeito daquilo que teria acontecido no apartamento da mãe de Matheus, entre a noite do dia 31 de dezembro e madrugada do dia primeiro de janeiro.

Além dos depoimentos de Matheus, foi levado em consideração o resultado da perícia realizada no local no dia 24 de janeiro, e os laudos dos exames. Um dos problemas á que este trabalho foi feito cerca de 20 dias depois dos fatos e a cena já estava bastante alterada.

Um dos pontos mais relevantes da perícia é que há indícios de que Matheus tenha atingido o rosto de Giovanna com o calcanhar resultado na gravidade da fratura. “Eles estavam com roupas íntimas, ou seja o Matheus estaria descalço e de acordo com o levantamento da perícia os ferimentos são compatíveis coma utilização do calcanhar”, afirmou Batistela.

Foi constatada também uma fratura na testa que pode ter sido causada por uma cadeira, que foi encontrada no local dos fatos, mas foi tirada do local original.

Pela versão do jovem suspeito, ele e Giovanna teriam ingerido uma garrafa de champanhe e outra de conhaque. Depois teriam brincado de “bicho bebe”. Já sob o efeito da bebida teriam iniciado uma discussão sobre a relação de Giovanna com o primo.

Segundo as declarações de Matheus, Giovanna teria ido ao banheiro onde teria vomitado por três vezes. Como a porta estava trancada ele foi obrigado a arrombá-la, retirando à namorada. Na sequência teria levado ela até um sofá, de onde ela teria caído e sofrido as lesões no rosto.

No entanto, o laudo da pericia mostra que o depoimento de Matheus é incompatível com as lesões encontradas na face e no tronco de Giovanna.

“Fizemos o que foi possível”, afirmou a delegada Roseli Molina. Ela disse ainda que o depoimento de Giovanna seria de grande importância e que ainda poderá ser colhida, embora o inquérito já esteja concluído.

O inquérito será encaminhado à Justiça e Matheus aguardará em liberdade até a data do julgamento.