Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 6 de Julho de 2022

Policial

Polícia conclui que tiro que matou jovem em banheiro não foi acidental

A existência de ciúmes chegou a ser apontada como motivo da ação criminosa, mas também não foi confirmada pelas investigações

Jornal da Nova/Campo Grande News

03 de Dezembro de 2015 - 09:35

Polícia Civil de Ivinhema, concluiu que morte da jovem Marielle Vieira, de 18 anos, foi homicídio doloso, portanto, não acidental. Ela foi morta com um tiro na nuca no dia 20 de novembro durante festa em uma casa no Centro da cidade.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Ricardo Cavagna, foram ouvidas 18 testemunhas, realizadas perícias e, também, reconstituição do crime. Caio Staut, de 19 anos, deverá responder pelo crime de homicídio.

De acordo com entrevista concedida pelo delegado ao site, a polícia sempre acreditou que o fato não foi acidente, mas os motivos que levaram o suspeito a cometer o crime nunca ficaram claros.

A existência de ciúmes chegou a ser apontada como motivo da ação criminosa, mas também não foi confirmada pelas investigações. “Não conseguimos ninguém que dissesse que havia presenciado qualquer tipo de demonstração de ciúmes por parte do Caio em relação a Marielle”, disse Cavagna ao Jornal da Nova.

A jovem foi atingida pelo tiro em uma casa onde estavam, também, dois amigos dela, Caio Staut, de 19 anos, e um adolescente de 16 anos. Ela foi baleada em um dos banheiros da casa. O pai da jovem é policial militar aposentado e, a mãe, trabalha no fórum da cidade.