Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 7 de Maio de 2021

Policial

Polícia prende família do tráfico chefiada por presidiário

Foram presos Anderson, 35 anos, Juceli, 37, Sandro Junior, 19, Sandriel, 18, Marieli, 18, João Paulo, 22, e um adolescente de 14 anos, morador em Jardim.

Dourados Agora

11 de Dezembro de 2016 - 23:09

Policiais do DOF aprenderam uma família inteira envolvida com o tráfico de drogas em Dourados. O grupo era comandado por um presidiário, que chefiava a remessa de maconha para Goiás. Tinha droga escondida até embaixo do colchão na casa de um dos acusados.

A prisão da quadrilha foi feita em ação conjunta da Polícia Militar e do DOF (Departamento de Operações de Fronteira). As buscas começaram ontem de manhã e o flagrante foi encerrado na madrugada de hoje.

Foram presos Anderson, 35 anos, Juceli, 37, Sandro Junior, 19, Sandriel, 18, Marieli, 18, João Paulo, 22, e um adolescente de 14 anos, morador em Jardim.

Sandro Marciano, 40, apontado como o chefe da quadrilha, já estava preso, mas foi autuado junto com os demais envolvidos.

De acordo com o DOF, a quadrilha foi descoberta após uma equipe policial tentar abordar um Fiat Palio branco, na região do Parque Nova Dourados.

O condutor fugiu, mas caiu em uma valeta nas imediações do estádio Douradão e foi preso e identificado como Anderson de Oliveira. Sandro Junior que também estava no carro tentou se esconder, mas foi localizado e preso.

No Palio foram encontrados 26 quilos de maconha. Na casa de Sandro Junior, que é filho do presidiário Sandro de Melo, foram presos Juceli, Sandriel, Mariele, João Paulo e o adolescente. No local foi encontrado um quilo de pasta-base de cocaína, escondido embaixo do colchão.

De acordo com o DOF, Juceli é mulher de Sandro Melo, que arquitetava o tráfico de dentro do presídio. Sandro Junior era responsável em pegar a droga no Paraguai e armazenar em Dourados.

João Paulo auxiliava Sandro Junior, Juceli e Sandriel na revenda da droga. Mariele era responsável por transportar a droga apreendida até Goiás. Todos foram autuados por tráfico na Defron (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira).