Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 14 de Junho de 2024

Policial

Polícia prende padrasto que abusou e transmitiu DST para criança de seis anos em Corumbá

O homem, que foi apresentado à imprensa nesta segunda-feira, 09, é apontado como o autor do crime de estupro de vulnerável

Diário Online

09 de Julho de 2012 - 13:52

Jorge Borges Queiroz, 44 anos, está preso na Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e do Idoso (DAIJI), em Corumbá, desde a última sexta-feira, 06 de julho. O homem, que foi apresentado à imprensa nesta segunda-feira, 09, é apontado como o autor do crime de estupro de vulnerável, cometido contra uma menina de 06 anos de idade. A criança era enteada de Jorge, que confessou o crime.

Em entrevista ao Diário, ele disse estar "arrependido" do abuso sexual que praticou contra a criança que, em decorrência, do crime acabou contraindo herpes genital, doença sexualmente transmissível.

"Aconteceu e eu estou arrependido do que fiz. Não quero fazer mais, quero pagar o que fiz, procurar uma vida melhor, um tratamento. Chegava assim na vontade, depois não tinha vontade mais, largava ela e saía pra fora (sic)", declarou o homem que afirmou ter realizado o ato criminoso quatro vezes contra a menor.

"Ela tinha confiança em mim. Quando eu ia fazer (penetração), ela falava que doía, daí eu parava, largava ela e saía de novo", diz o homem que declara ter agido em "momento de fraqueza ou de bobeira". "Nessa hora, o cara perde a cabeça", completou.

A denúncia chegou à delegada titular Priscila Anuda Quarti Vieira, na noite de terça-feira, 03 de julho. A menina vinha reclamando de dores ao urinar e a mãe a trouxe ao pronto-socorro. Lá, o médico plantonista constatou que a criança estava com herpes genital.

"Precisamos ressaltar a atitude do médico que estava de plantão porque não acontecem muitos casos de comunicação do Pronto-Socorro à Delegacia. O médico acionou prontamente o Conselho Tutelar que, imediatamente, encaminhou à Delegacia, onde registramos um boletim de ocorrência", destacou a delegadaao lembrar que o trabalho conjunto ajudou no rápido desfecho do caso.

"A garota não ia contar porque o acusado auxiliava no sustento da casa financeiramente. A mãe não tem condições porque tem muitos filhos, inclusive um bebê de um ano e sete meses, e não possui condições de prover o sustento da família sozinha.A criança disse que ele ajudava a mãe com dinheiro e comida e por isso ficou quieta", explicou a delegada Priscila que tem prazo de 10 dias desde a prisão do acusado, para concluir o inquérito.

"Vamos incluir o laudo definitivo do corpo de delito, vamos pedir exames laboratoriaispara o acusado porque ele não tem lesões visíveis no órgão genital em razão da DST, mas o exame pode constatar. Ele está sendo indiciado pelo crime de estupro de vulnerável e vai ser encaminhado ao presídio", garantiu a delegada. Se condenado judicialmente, Jorge Queiroz pode pegar de 8 a 15 anos de prisão.

"Não é somente em Corumbá que existem muitos casos de abuso sexual. Esse crime acontece em várias partes do país. Eu acredito que aqui, em razão de a gente mostrar que há punição pra esse tipo de gente que abusa sexualmente de crianças, as pessoas se sentem mais fortalecidas para denunciar. É um tipo de crime que acontece às escondidas, não tem testemunha, não tem nada, a gente precisa que a vítima tenha confiança, se sinta fortalecida para procurar as autoridades", disse.

Em Corumbá, as denúncias podem ser feitas nas unidades do CRAS; no Conselho Tutelar, que também possui o telefone gratuito 08006474488; ou na DAIJI, cujos telefones são: 3907-5127 e 3907-5126. A delegada lembra que mesmo suspeitas podem ser relatadas e de forma anônima.

"A gente preserva a identidade do denunciante. Ele relata o ocorrido e a gente solicita que uma equipe de investigadores vá diligenciar para verificar se aquele crime está ou não ocorrendo", finalizou.