Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Novembro de 2020

Policial

Policial que matou motorista no Guanandi é preso; PM vai instaurar sindicância

A Corporação ainda divulga que vai instaurar procedimento administrativo para apurar as circunstâncias da ocorrência e determinar responsabilidades.

Campo Grande News

11 de Fevereiro de 2014 - 13:30

Por meio de nota oficial divulgada nesta terça-feira (11), a Polícia Militar informa que o soldado Geison Martins Soares, 34 anos, que matou o motorista Eliandro Ayala Antunes, 32, com dois tiros no peito na noite de ontem (10), prestou depoimentos na delegacia e está detido no Presídio Militar Estadual a disposição da Justiça.

A Corporação ainda divulga que vai instaurar procedimento administrativo para apurar as circunstâncias da ocorrência e determinar responsabilidades.

Segundo a nota da PM, Eliandro foi à casa da ex-namorada, Brunielly Dias Barbosa, 22, para ameaçá-la. O motorista arrombou o portão e a porta da frente da residência que fica no Guanandi II, em Campo Grande, e apontou uma arma para a mulher, ameaçando atirar.

“Nesse momento, o atual namorado da jovem, um soldado da PM, que estava no local, percebendo a ameaça, sacou sua pistola e efetuou dois disparos contra o rapaz, atingindo-o. Após desarmar o agressor é que o PM pode perceber que a arma se tratava de um simulacro de pistola”, informa a nota.

Após os disparos, o soldado acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para que o motorista fosse socorrido. Nesse momento, o baleado ainda se encontrava vivo. No entanto, ele não resistiu aos ferimentos morreu no local.

A corporação informa que Geison se apresentou para prestar os esclarecimentos necessários. A pistola que ele usava foi entregue para a perícia.

Outra versão – Para a família do motorista Eliandro, o policial Geison era amante de Brunielly. De acordo com uma sobrinha da vítima, que pediu para não ser identificada, o motorista era taxista e havia alugado a casa para Brunielly morar.

Ela disse que ontem à tarde o tio chegou a ir ao imóvel levar dinheiro para a jovem. “Eles estavam juntos ainda. O meu tio era apaixonado por essa mulher”, disse.

Crime – Eliandro foi morto com dois tiros no peito depois de ter invadido a casa de Brunielly. De acordo com o delegado que atendeu a ocorrência, Ivahir Luiz de Campos, o soldado da Polícia Militar agiu em legítima defesa, pois no momento do crime a vítima usava um simulacro de uma arma ponto 40.

Conforme a Polícia Civil, Eliandro arrombou a porta, invadiu a casa da namorada, que estava junto com o PM. Muito violento, o motorista empunhou o simulacro e disse que ia matar Brunielly, momento em que o policial atirou.

Depois que a vítima caiu, o PM pegou a arma e viu que se tratava de um simulacro. O Samu e o Corpo de Bombeiros foram acionados e tentaram durante 30 minutos o procedimento de reanimação, mas o homem não resistiu e morreu no local.

O caso foi registrado como homicídio doloso na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do bairro Piratininga.