Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 13 de Junho de 2024

Policial

Preso em Ponta Porã homem acusado de executar policial da reserva por vingança

De acordo com a investigação policial, Portilho matou Rolon com cinco tiros nas costas, todos do lado esquerdo da vítima

Midiamax

17 de Julho de 2012 - 16:46

Uma ação conjunta entre policias da 6ª Delegacia de Polícia de Campo Grande e policiais civis de Ponta Porã, culminou na prisão de João Portilho, na última sexta-feira, 20. De acordo com o delegado responsável pela investigação, Devair Aparecido Francisco, João é o homem quem atirou no policial aposentado Humberto Aparecido Rolon, 41 anos, no dia 3 de outubro de 2011, em uma borracharia na rua Spipe Calarge, região sul de Campo Grande.

Segundo o delegado, a motivação para o crime teria sido vingança, pois, o PM aposentado teria envolvimento na morte de um parente de Portilho.

A polícia chegou até o autor do homicídio com base nas imagens de comércio próximo à borracharia em que Humberto foi assassinado e por provas testemunhais. De acordo com o Devair, João Portilho nega o crime, porém não há dúvidas quanto sua autoria.

Ele foi enquadrado por homicídio doloso e encontra-se detido preventivamente. João foi encaminhado por volta das 15h30min para o Ptran (Presídio de Trânsito) de Campo Grande e, conforme o delegado responsável, o desafio da polícia é identificar o piloto da moto em que João estava.

De acordo com a investigação policial, Portilho matou Rolon com cinco tiros nas costas, todos do lado esquerdo da vítima.

Ainda conforme as investigações, eles eram conhecidos desde a infância quando crescerem juntos na cidade de Sanga Puitã, distrito de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai.