Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 18 de Abril de 2021

Policial

Quadrilha usa doze caminhões boiadeiros para furtar 250 cabeças de gado em MS

Segundo o titular da DP do município, Éder Oliveira de Moraes, o gado foi furtado através da propriedade vizinha

Correio do Estado

05 de Novembro de 2014 - 13:00

Policiais Civis de Coxim, Rio Verde e Pedro Gomes (MS) desarticularam uma quadrilha de ladrões de gado que vinha agindo na região norte de Mato Grosso do Sul, durante a operação "Carro de Boi", que começou na última sexta-feira (31). No dia anterior, 250 cabeças de gado foram levadas da Fazenda Baía Formosa, localizada na região da Serra da Alegria, em Rio Verde, gerando um prejuízo de quase R$ 400 mil. Foram recuperadas 243. 

Segundo o titular da DP do município, Éder Oliveira de Moraes, o gado foi furtado através da propriedade vizinha. Os acusados usaram 12 caminhões boiadeiros, que fizeram o transporte do gado furtado para os municípios de Coxim e Pedro Gomes. Equipes da 1ª DP de Coxim e de Pedro Gomes, deram início à ação e conseguiram localizar os transportadores, que indicaram as propriedades para onde o gado havia sido encaminhado.

Em Pedro Gomes, a equipe chefiada pelo delegado José Roberto de Oliveira Junior, recuperou 141 cabeças de gado. Um dos animais foi encontrado morto, devido ao local inapropriado onde estavam, com falta de água e alimentos. Já em Coxim, 102 cabeças foram recuperadas, sendo 42 em uma propriedade, e 38 em outra. Outros 22 animais, que estavam em assentamento na cidade, foram encontrados na terça-feira (4). 

Silvia Elaine Girardi dos Santos, titular da Delegacia de Coxim, e Gustavo Mussi, delegado que também participou da operação, informaram que várias pessoas supostamente envolvidas no episódio já foram ouvidas, mas outras ainda devem prestar esclarecimentos, nos próximos dias. Os nomes não foram divulgados para não atrapalhar as investigações. A atuação da quadrilha chamou a atenção dos investigadores e delegados pela ousadia e tamanho da estrutura logística montada para cometer o crime.