Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 21 de Abril de 2024

Policial

Suspeito de matar ex a tesouradas vai a júri por feminicídio

Mayara foi assassinada no dia 16 de setembro na casa onde morava no Bairro Universitário, em Campo Grande.

Midiamax

21 de Novembro de 2017 - 18:00

O juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete de Almeida, recebeu nesta segunda-feira (20), denúncia do Ministério Público contra . Roberson Batista da Silva, de 33 anos, responsável pela morte de Mayara Fontoura Hosback, de 18 anos, no dia 16 de setembro. Com a decisão, Roberson será réu pelo crime de feminicídio duplamente qualificado, pelo motivo torpe e pelo recurso que dificultou a defesa da vítima.

Mayara foi assassinada no dia 16 de setembro na casa onde morava no Bairro Universitário, em Campo Grande. O suspeito teria invadido a casa da jovem para matá-la, durante a madrugada.

A jovem foi encontrada deitada na cama, enrolada apenas a um edredom, já sem vida. Vestígios de sangue foram encontrados pela polícia no quarto e o banheiro da casa e a arma do crime, uma tesoura, foi deixada pelo autor ao lado do corpo.

Mayara vivia com o autor do crime desde 2015. Com mais de dez passagens envolvendo apenas casos de violência doméstica, o suspeito acabou preso em abril deste ano em cumprimento a dois mandados de prisão, uma tentativa de homicídio e uma lesão corporal, ambos os crimes contra a ex-mulher.

O homem foi condenado pela lesão corporal a três meses de reclusão, em regime aberto e a três anos e sete meses pela tentativa de homicídio. Foi preso e fugiu do sistema prisional de Campo Grande pelo menos três vezes. Ainda assim, recebeu a liberdade provisória do dia 14 de setembro, véspera do assassinato de Mayara, por ter cumprido parte das penas e não ter “registro de falta grave em 2016”.