Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 24 de Junho de 2021

Policial

Três estupradores, incluindo um identificado, continuam soltos

Nos sete primeiros meses do ano, a delegacia da mulher já contabiliza 49 casos. O estupro é um crime hediondo, com pena que varia de seis a dez anos de reclusão.

Campo Grande News

21 de Agosto de 2013 - 10:00

Desde o início do mês de agosto, policiais civis da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) realizam uma operação para localizar estupradores em Campo Grande. Dos três suspeitos, de acordo com a delegada Rosely Molina, titular da delegacia, apenas um foi identificado e está com um mandado de prisão em aberto.

“Nosso foco está sendo nesses três suspeitos, inclusive com monitoramento próximo as suas residências. Muitas vezes, descobrimos novos crimes e vítimas dos mesmos autores, porém precisamos do conteúdo probatório para realizar a prisão”, explica a delegada Marília de Brito Martins.

No dia 1º deste mês, três suspeitos foram levados para delegacia. Com eles foi feito o reconhecimento fotográfico e pessoal com as vítimas. No entanto, segundo a delegada Molina, nenhum foi reconhecido.

Em um dos casos, que envolve uma jovem de 20 anos, ela afirmou a polícia que reconheceu o estuprador, pois este já esteve no imóvel há algum tempo para trabalhar em uma mudança.

Outro caso, ocorrido na terça (23 de julho), uma menina de 19 anos foi estuprada por um vendedor do mel. O homem chegou no imóvel, em posse de uma faca e, assim que ela abriu a porta para comprar o produto, foi rendida com a arma branca.

Já o primeiro caso, uma mulher de 51 anos foi estuprada por um suposto pai de santo. Ela informou à polícia que o filho pegou um panfleto, onde estavam sendo oferecidos trabalhos espirituais de graça.

Com isso, ela entrou em contato com o homem e este a buscou em sua casa. Durante o ato sexual, o autor chegou a pedir para a vítima ficar calma, pois estava incorporado.

Estatísticas: Nos sete primeiros meses do ano, a delegacia da mulher já contabiliza 49 casos. O estupro é um crime hediondo, com pena que varia de seis a dez anos de reclusão.